ASSINE

Governador faz apelo à população: "Se puder, não vá à praia"

Em pronunciamento nesta sexta-feira (19, Renato Casagrande alertou para a pressão sobre o sistema de saúde, pediu a compreensão de quem está sendo afetado pelas medidas restritivas e reforçou a importância em cumprir a quarentena

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 19/03/2021 às 19h51

“Amanhã começa o final de semana, vamos ter fiscalização, mas é importante que não haja aglomeração. Não leve cadeira, guarda-sol, evitem esportes coletivos. Se puder, não vá à praia”. O apelo foi feito pelo governador Renato Casagrande, em pronunciamento no final da tarde desta sexta-feira (19), quando pediu à população que se for possível, fiquem em casa cumprindo a quarentena de 14 dias para reduzir o contágio pelo novo coronavírus.

Ele destacou que a pressão sobre o sistema de saúde, público e privado, tem aumentado todos os dias. Nos hospitais públicos relatou serem internados, diariamente, mais de 100 pessoas com a Covid-19. E adiantou que nem a abertura de novos leitos será suficiente.

“Nós estamos fazendo a nossa parte, abrindo os leitos. Há uma semana tínhamos 724 leitos de UTI. Hoje já estamos com 770, e vamos chegar até final de março com 844. Mas ainda assim a ocupação continua elevada, com mais de cem pacientes que são internados por dia”, relatou Casagrande.

Nesta sexta-feira (19) o estado bateu mais três tristes recordes: alcançou 701 pacientes internados em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 604 em leitos de enfermaria – totalizando, pela primeira vez, mais de 1.300 internados na rede pública do Estado destinada à Covid-19. Os maiores números de toda a pandemia.

Um reflexo da velocidade do crescimento das internações devido ao contágio pelo novo coronavírus. Há cerca de uma semana, essas quantidades ainda giravam em torno de 600 pessoas nas UTIs e 500 nas enfermarias.

COLABORAÇÃO DOS AFETADOS PELA QUARENTENA

Casagrande também pediu a compreensão de quem está sendo afetado pelas medidas restritivas impostas pela quarentena de 14 dias, como os comerciantes, prestadores de serviços dentre outros representantes de atividades econômicas. Assinalou que as medidas adotadas são polêmicas, mas corretas, justas e necessárias para preservar vidas.

Renato Casagrande

Governador

"Não gostaria de tomar uma medida desta. Como governador, nunca imaginei passar por um momento como este de enfrentamento a pandemia, mas nesta hora não tenho que ficar preocupado se a medida é popular ou impopular, mas se ela é justa e correta. Peço a compreensão dos que estão sendo afetados. Peço que me apoiem e as demais instituições que estão junto neste trabalho. E se o prefeito de sua cidade estiver nesta direção de proteger a vida, o compreenda, mas se não estiver nesta linha, converse com ele, porque ele tem que ajudar a preservar as vidas"

O governador acrescentou ainda que até o momento o Estado tem conseguindo atender a todos os pacientes com leitos hospitalares, mas que pode chegar um momento em que isto não será mais possível.

“Precisamos da ajuda e da colaboração de todos. Até agora conseguimos dar dignidade a todos, acolhendo em leitos todos os capixabas. Mas precisamos reduzir a interação para evitar o contágio. É muito importante, porque daqui a pouquinho podemos não ter leitos para todo mundo. Esta é a realidade que estamos enfrentando. Temos repetido, até cansa, mas como o vírus não cansa da gente, nós também não podemos cansar”, destacou.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.