ASSINE

ES vai aplicar 3ª dose de vacina contra Covid em 254 mil idosos em setembro

A imunização começa em setembro e deverá ser concluída até o final de outubro nessa faixa etária; a Pfizer será utilizada prioritariamente

Publicado em 25/08/2021 às 20h41
Distribuição e vacinação na Grande Vitória
Idosos que tomaram as duas doses de vacina há mais de seis meses deverão receber nova aplicação para reforço da imunização contra a Covid-19. Crédito: Fernando Madeira

Após o anúncio do Ministério da Saúde autorizando a implementação da 3ª dose (D3) da vacina contra a Covid-19 na população mais vulnerável à doença, o governo do Estado informou que cerca de 254 mil pessoas no Espírito Santo serão contempladas. A maioria são idosos, a partir dos 70 anos, e também um grupo de imunosssuprimidos, público cujo sistema imunológico apresenta limitações para proteger o organismo. 

O secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes, afirma que a previsão inicial é começar a aplicar a D3 na segunda quinzena de setembro, mas há uma expectativa de antecipar esse prazo, caso sejam resolvidas questões operacionais do Plano Nacional de Imunização (PNI) e no Estado, especialmente a disponibilidade de doses. 

Pela projeção atual, Nésio Fernandes estima que a vacinação dessa parcela da população com a D3 seja concluída até o final de outubro. Ele ressalta que, para receber a dose de reforço,  esse público precisa ter recebido a D2 (segunda dose) da Coronavac ou da Astrazeneca há pelo menos seis meses. 

Questionado sobre o perfil de imunossuprimidos que vão ser atendidos, o secretário explica que depende do que vai ser estabelecido em nota técnica que ainda será publicada pelo ministério. Embora ainda sem definição do governo federal, pessoas com câncer ou HIV se encaixariam nesse público-alvo. 

Para alcançar essas pessoas com a dose de reforço, Nésio Fernandes aponta que as prefeituras poderão utilizar-se da busca ativa ou dos sistemas de agendamento que já vêm adotando nas fases iniciais da campanha de imunização.

Por orientação do Ministério da Saúde, o imunizante da Pfizer deve ser usado prioritariamente nessa estratégia, mas também são permitidas as outras vacinas de vetor viral - Astrazeneca e Janssen.

Nésio Fernandes revela que vai priorizar a Pfizer, inclusive pela disponibilidade de doses, mas avalia que a medida não vai comprometer a estratégia de vacinação de adolescentes, também prevista para setembro.

Antes, o secretário trabalhava com a perspectiva de usar a Astrazeneca para a D3 e a Pfizer, nos adolescentes.  A diferença é que, para a turma de 12 a 17 anos sem comorbidades, o início da imunização pode se estender para um momento posterior ao começo da aplicação da D3 nos idosos.

PONTO A PONTO

  • Cerca de 254 mil pessoas, entre idosos a partir de 70 anos e imunossuprimidos, vão receber a terceira dose (D3) de vacina contra a Covid-19;
  • A vacinação vai começar em setembro - previsão inicial é na segunda quinzena, mas prazo poderá ser antecipado;
  • O público-alvo é o de pessoas que receberam as duas doses de vacina da Coronavac ou Astrazeneca há pelo menos seis meses;
  • O perfil de imunossuprimidos que vão ser contemplados ainda não foi definido pelo Ministério da Saúde;
  • A D3 será, prioritariamente, com a vacina da Pfizer, mas também poderão ser usadas a Astrazeneca e a Janssen. 
  • As prefeituras deverão fazer busca ativa ou organizar agendamentos, assim como nas fases iniciais, para alcançar o público. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.