ASSINE

ES vai antecipar a 2ª dose da Pfizer para 10 semanas, diz secretário

Intervalo entre as doses vai passar de 90 para 70 dias. Secretário da Saúde, Nésio Fernandes, divulgou que 210 mil pessoas poderiam receber a segunda dose do imunizante no novo prazo

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 25/08/2021 às 16h15
Atualizado em 25/08/2021 às 20h37
Coletiva de imprensa com o Governador Renato Casagrande e os secretários, Nésio Fernandes, da Saúde e Rogelio Amorim, da Fazenda
Em postagem no Twitter, Nésio indicou a redução do intervalo de aplicação da segunda dose da Pfizer. Crédito: Fernando Madeira

Espírito Santo vai adiantar a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 da Pfizer para um intervalo de 10 semanas (equivalente a 70 dias). A informação foi divulgada pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em seu perfil no Twitter. Segundo ele, cerca de 210 mil capixabas estariam aptos a receber o imunizante no novo prazo. Atualmente, o intervalo adotado entre as doses para esta fabricante é de 90 dias no Estado.

O secretário destacou ainda que quase 150 mil pessoas no Estado ainda não retornaram para receber a segunda dose de vacinas contra a Covid-19. Nésio Fernandes também fez menção ao post do governador Renato Casagrande no Twitter, alertando que sexta-feira (27) e sábado (28) serão "os dias da D2".

O governador informou que 360 mil doses de vacinas que previnem a infecção pelo coronavírus recebidas pelo Espírito Santo do Ministério da Saúde foram enviadas aos municípios.

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou que vai antecipar o intervalo de aplicação das doses da Pfizer para 10 semanas e explicou que ficou acordado com os municípios a realização de ações para convocar a população para se vacinar, como busca ativa dos que estejam com a segunda dose em atraso.

A secretaria divulgou ainda que, para o mutirão no próximo sábado (28), vai disponibilizar pontos próprios de vacinação para a população, semelhante ao que foi feito no último "Dia D", quando quase 150 mil capixabas foram imunizados contra a Covid-19.

ESTADO DEFENDIA INTERVALO DE  8 SEMANAS

Em coletiva de imprensa realizada no último dia 16, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, defendeu a redução do intervalo entre a primeira e a segunda doses da Pfizer para oito semanas, o equivalente a 56 dias no Estado. O secretário informou que a posição foi apresentada ao Ministério da Saúde e ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) em uma reunião feita horas antes. Na bula do imunizante, o intervalo sugerido é de 21 dias.

"Defendemos que a população que tenha recebido a vacina há oito semanas já possa receber a segunda dose. Nós consideramos que prazos menores podem não ser adequados por prejudicarem o desempenho do sistema imune. O Ministério da Saúde vai se manifestar nos próximos dias e devemos ter autorização para a aplicação da D2 da Pfizer em um intervalo menor na população de todo o país", disse, na ocasião.

Nesta quarta-feira (25), Nésio Fernandes explicou que mantém a intenção de reduzir o intervalo para 8 semanas, mas o Estado depende da disponibilidade de doses enviadas pelo Ministério da Saúde. "No primeiro minuto que houver doses suficientes, reduziremos o intervalo." No Espírito Santo, a Astrazeneca já é aplicada com ciclo de 10 semanas e, segundo o secretário, será mantido pelo mesmo motivo. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.