ASSINE

Covid-19: ES não sofre com a falta de oxigênio, afirma secretário

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (9) que, até o momento, o insumo não falta do Estado capixaba

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 09/04/2021 às 12h59
Atualizado em 09/04/2021 às 12h59
Avião C-105 da Força Aérea Brasileira transporta 80 cilindros de oxigênio de Belém do Pará para Manaus no Amazonas. O estado do Amazonas vive uma crise de desabastecimento de oxigênio devido a pandemia
O Estado do Amazonas viveu uma crise de desabastecimento de oxigênio devido a pandemia. Crédito: Filipe Bispo /Fotoarena/Folhapress

A falta de oxigênio — para pacientes com a Covid-19 e para pessoas internadas com outras doenças – demonstrou o grande colapso na rede assistencial de Saúde em vários Estados brasileiros nos últimos meses, como o Amazonas, que chegou a mobilizar brasileiros de todo o país com a causa.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (9), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, tranquilizou os capixabas dizendo que, até o momento, o insumo não falta para aqueles que precisam no Espírito Santo.

Nésio afirmou que, ainda ao longo do ano passado, foram feitas avaliações pelo governo do Estado em relação à capacidade de fornecimento, armazenamento e produção de gases hospitalares na rede pública do Estado.

Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde do ES

"A principal iniciativa, partindo da experiência que ocorreu em alguns Estados do Brasil, fez com que a gente estabelecesse um controle mais fino sobre isso"

Com isso, entre os meses de dezembro e março, Nésio afirma que ciclos foram organizados para que não faltasse oxigênio no Espírito Santo. "Reunimos os fornecedores de gases medicinais desde o ano passado, em reuniões documentadas, e estabelecemos uma pactuação com esses fornecedores, que tem, na ArcelorMittal, a referência dos gases de oxigênio", detalhou o secretário.

Com esse contato, o secretário afirma que foi garantido um apoio adicional aos fornecedores que não possuem uma base produtora no Espírito Santo, como a siderúrgica produtora de aço. "A preparação que o Estado estabeleceu com toda a rede, indústria e fornecedores, permite que o Estado não sofra com a falta de oxigênio. Nós conseguimos a partir do planejamento e previsibilidade garantir que, até o presente momento, a gente não corra esse risco", completou.

Por fim, Nésio frisou que foi a partir do planejamento e previsibilidade que o governo do Estado pode garantir que, até o presente momento, oxigênio não falta para os capixabas internados em hospitais públicos do Espírito Santo.

REVEJA A COLETIVA

Na transmissão, o secretário Nésio Fernandes também lamentou a marca de 8 mil mortes, ultrapassada pelo Espírito Santo na última quinta-feira (8), afirmou que a Sesa vai começar a divulgar, a partir desta sexta-feira (9), a ocupação dos hospitais da rede privada, comentou sobre assuntos que serão levados à sala de Situação de Emergência ainda nesta sexta, entre outros assuntos.

Espírito Santo Saúde Hospitais SESA Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo nesio fernandes Medicamento Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.