ASSINE

Prejuízo no comércio de Alfredo Chaves é incalculável, diz CDL

Além das lojas destruídas, movimento comercial no município caiu cerca de 50% no comércio que ainda funciona

Publicado em 22/01/2020 às 12h52
Atualizado em 22/01/2020 às 13h45
Alfredo Chaves foi o município que registrou a maior quantidade de chuva. Crédito: Internauta
Alfredo Chaves foi o município que registrou a maior quantidade de chuva. Crédito: Internauta

O comércio foi uma das áreas mais atingidas pelas fortes chuvas em Alfredo Chaves, no Sul do Espírito Santo, na última sexta-feira (17). O município registrou o maior volume de chuva do Estado e grande parte das lojas foram afetadas pela enchente.

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Alfredo Chaves, Valtamir José Grassi, o prejuízo é incalculável. “No momento, ainda temos lojas fechadas para tentar recuperar o que sobrou porque alguns perderam tudo, outros quase tudo. Então, é incalculável o prejuízo", disse.

Além das lojas danificadas pelas chuvas, o comércio que mantém as portas abertas já registrou queda de cerca de 50% nas vendas. “Tem muita gente que não consegue chegar aqui na sede e tem os produtores que perderam muita coisa na produção e não tem como escoar. Tudo isso reflete no comércio”, explicou Grassi.

O presidente da CDL no município disse ainda que não tem previsão de quando o comércio vai voltar a funcionar normalmente, mas espera incentivos para ajudar os comerciantes afetados. “Fazemos um apelo ao governo do Estado, que se puder, libere algum dinheiro com carência maior e juros menores, sem burocracia, para que as pessoas possam ter um acesso melhor a esse crédito. Também sobre os tributos, que vencem agora, se puder prorrogar e dividir para que quando as pessoas começarem a trabalhar poder ir quitando esses débitos”.

MEDIDAS ANUNCIADAS PELO GOVERNO

O governo do Estado anunciou, nesta terça-feira (21), as medidas e incentivos aos afetados pelas chuvas, como o saque do FGTS, a postergação do recolhimento de ICMS pelas empresas atingidas, a abertura de linhas de financiamento com juros subsidiados e a reativação do Cartão Reconstrução – que permite a doação de R$ 3 mil, em dinheiro, às famílias com renda de até três salários mínimos.

Os benefícios atendem afetados nos municípios de Alfredo Chaves, Iconha, Rio Novo do Sul e Vargem Alta, que tiveram decretado o estado de calamidade pública.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.