ASSINE

"Guarda Municipal será protagonista", diz futuro secretário de Segurança de Vitória

Delegado Ícaro Ruginski afirmou que a Guarda tem passado por um "processo de sucateamento", com equipamentos inadequados e pouca capacitação

Vitória
Publicado em 11/12/2020 às 20h32
Ícaro Ruginski, Lorenzo Pazolini (Republicanos) e Capitã Estéfane (Republicanos)
Ícaro Ruginski, Lorenzo Pazolini (Republicanos) e Capitã Estéfane (Republicanos). Crédito: Assessoria de Imprensa Lorenzo Pazolini

O fortalecimento da Guarda Municipal ocupa o centro do discurso do futuro secretário municipal de Segurança Pública de Vitória, Ícaro Ruginski. O delegado de Polícia é o primeiro secretário anunciado pelo prefeito eleito da Capital, Lorenzo Pazolini (Republicanos). Em coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (11), Ruginski garantiu que sua prioridade é reestruturar a Guarda Municipal para que ela seja "protagonista" nos resultados da pasta, atuando com integração com as Polícias Militar e Civil.

O delegado também integra a equipe de transição de Pazolini, e afirmou que com base nos dados que tem recebido da pasta, a Guarda sofreu, durante os últimos anos, "um processo de sucateamento" que teria causado "desmotivação" nos servidores. A estrutura e a forma de atuação da Guarda foi uma das principais pautas da campanha eleitoral em Vitória, e também uma bandeira encampada por Pazolini como candidato.

"O que temos notado é que falta equipamentos, a capacitação está aquém do que poderia ser e há uma desmotivação geral, então nós vamos mudar isso. Já no início da análise dos dados vimos que têm coletes (à prova de balas) e gás de pimenta que estão vencidos,  e não podemos aceitar isso", assinalou Ícaro.

Após tomar posse no dia 2 de janeiro, portanto, ele diz que suas primeiras ações serão voltadas para "motivar e valorizar" esses servidores. Inicialmente, no entanto, não se trata de valorização financeira, ou seja, não há previsão de aumento para a categoria. O futuro secretário garante, no entanto, que existem outras formas de investir para que os guardas se sintam valorizados e, assim, mais motivados para atuar nas ruas da Capital.

"Vamos verificar a estrutura, colocar eles em um ambiente adequado. Por exemplo, tem que ter viatura boa para trabalhar e valorizar as pessoas designando funções de acordo com as suas qualidades técnicas, e não por outras questões que não sejam essas", pontuou.

Apenas o investimento no segmento, no entanto, não será suficiente para a segurança pública na Capital. Para isso, Ruginski e Pazolini falam em buscar uma integração com as forças policiais do Estado e União.

O prefeito eleito se encontrou com o governador Renato Casagrande (PSB) pessoalmente esta semana e destacou que, no encontro, os dois conversaram sobre o tema e o socialista teria recebido "com muito entusiasmo" os pedidos do republicano para um maior diálogo entre Polícia Militar, Civil e os "braços" da prefeitura.

"Dr. Ícaro vai atuar junto com a Polícia Militar e Civil, integrando com o trabalho da Capitã Estefane, e com a Polícia Federal para implantação de um setor de inteligência na Guarda Municipal, junto às outras propostas de retomada da guarda como uma polícia municipal", ressaltou Pazolini.

Além dos dois delegados, esteve no anúncio da nomeação apenas a vice-prefeita eleita, Capitã Estéfane (Republicanos), que também veio da área da segurança pública. Ao discursar, no entanto, a vice foi a única a defender a importância de buscar "conhecimento" para atuar na segurança pública, pois esta é uma pasta que não se resume unicamente à Guarda. Em entrevista para A Gazeta, ela já se posicionou nesta linha, defendendo políticas sociais e de educação para diminuir a violência.

"Estamos fazendo reuniões periódicas para integrar, buscar conhecimento, com objetivo de trabalhar a guarda, mas não só a guarda, porque a segurança não se resume unicamente a isso. Segurança é todo um contexto que traga paz, tranquilidade e sensação de segurança para a população", pontuou.

Ainda não foram anunciados os nomes da equipe que vai trabalhar com Ruginski. O prefeito eleito indicou, no entanto, que até o dia 22 deve ser anunciado um subsecretário e, ainda na próxima semana, titulares de outras secretarias. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.