ASSINE

Pazolini anuncia aliados de Hartung como membros da transição em Vitória

Andrezza Rosalém, Henrique Herkenhoff e Marcelo de Oliveira estão entre os integrantes da equipe de transição do prefeito eleito da Capital. Outros três membros foram confirmados nesta sexta

Vitória
Publicado em 04/12/2020 às 12h53
Atualizado em 04/12/2020 às 15h33
Equipe de transição de Lorenzo Pazolini, prefeito eleito de vitória. Da esquerda para direita: Aridelmo Teixeira, Henrique Herkenhoff, Roberto Carneiro, Capitã Estefáne, Lorenzo Pazolini, Erick Musso, Juliana Vianna Toniati, Andrezza Rosalém, Ícaro Ruginski e Marcelo de Oliveira
Da esquerda para direita: Aridelmo Teixeira, Henrique Herkenhoff, Roberto Carneiro, Capitã Estefáne, Lorenzo Pazolini, Erick Musso, Juliana Vianna Toniati, Andrezza Rosalém, Ícaro Ruginski e Marcelo de Oliveira. Crédito: Leonardo Duarte

O prefeito eleito de VitóriaLorenzo Pazolini (Republicanos), anunciou, nesta sexta-feira (4), mais cinco nomes que vão compor sua equipe de transição para a prefeitura da Capital. Ao lado da vice, a Capitã Estéfane (Republicanos), e do coordenador da transição, Roberto Carneiro (Republicanos), o futuro chefe do Executivo municipal apresentou os demais integrantes, ligados às áreas de educação, gestão pública e segurança. Ao todo, a equipe de transição ficou com seis membros e um coordenador.

Entre os membros da equipe estão Andrezza Rosalém, que é mestre em Economia e foi diretora-presidente do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), de janeiro de 2015 a junho de 2017, e secretária estadual de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), de julho de 2017 a dezembro de 2018, ambos os cargos no último governo de Paulo Hartung (sem partido). A economista participou também da elaboração do plano de governo de Hartung e esteve na equipe de transição dele em 2014. 

Pazolini também confirmou o advogado Henrique Herkenhoff,  que foi secretário de estadual de Segurança Pública, de 2011 a 2013, no primeiro governo de Renato Casagrande (PSB), e atuou na campanha de Paulo Hartung em 2014.  Herkenhoff chegou a aparecer na propaganda eleitoral de Pazolini na TV, no primeiro turno, reforçando que o candidato, enquanto delegado, atuou no combate à corrupção.

O terceiro nome foi o de Marcelo de Oliveira, que também ocupou cargos no governo estadual durante os mandatos do ex-governador. Marcelo foi subsecretário de Obras, de novembro de 2007 a 2016; subsecretário de Habitação e Gestão Integrada de Projetos, de 2017 a até março de 2018; e secretário de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, de abril de 2018 a dezembro do mesmo ano.

Também compõem a equipe Ícaro Ruginski, delegado de polícia e chefe da Superintendência de Polícia Regional Norte; e Julianna Vianna Toniati, que já atuou como coordenadora de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Cariacica e, hoje, é gestora da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Jones José do Nascimento, na Serra.

Pazolini afirmou que a lista é resultado de um compromisso feito durante a campanha. "Esse era o nosso compromisso: qualificar a gestão municipal. Todos aqui são gestores, todo mundo tem mestrado, doutorado, só quem não estudou foi o prefeito", disse, em tom de brincadeira. O prefeito eleito é formado em Direito e pós-graduado em Gestão de Segurança Pública.

Na terça-feira (1º), Pazolini já havia confirmado o presidente estadual do partido Republicanos, Roberto Carneiro, como coordenador da equipe de transição, e Aridelmo Teixeira (Novo), como membro. Roberto Carneiro foi chefe da Casa Civil, de março a outubro de 2018, e secretário estadual de Esportes e Lazer, de agosto de 2017 a abril de 2018, no último governo Hartung. Aridelmo foi o principal artífice da Escola Viva, programa de escolas em tempo integral da gestão do ex-governador. Com os novos nomes anunciados nesta sexta, o grupo está completo. 

REUNIÕES TEMÁTICAS

Nesta sexta, Roberto Carneiro afirmou que já foram realizadas reuniões temáticas nas áreas de educação e finanças e que o grupo tem como foco inicial tratar sobre orçamento para 2021. De acordo com Carneiro, a equipe pretende decidir se encaminhará emendas à peça orçamentária elaborada pela atual gestão e quais serão elas até a próxima segunda-feira (7).

Até o momento, de acordo com o coordenador, a transição tem sido feira de forma "republicana e harmônica". Pazolini não se reuniu com o prefeito Luciano Rezende (Cidadania).

SECRETARIADO

Tradicionalmente, nomes escolhidos para compor as equipes de transição assumem o primeiro escalão da administração municipal, em secretarias, por exemplo. O republicano nega, no entanto, que exista conversas nesse sentido com os que foram chamados para participar. "Não pensamos nessa possibilidade ainda, nós estamos trabalhando focados na transição, até pelo pouco tempo para o processo. O que era feito em 60 dias teremos que fazer em menos de 20 dias úteis", apontou.

Com o trabalho focado no diagnóstico da cidade e em colher informações encaminhadas pela atual gestão, a decisão sobre secretariado vai passar a ser discutida, de acordo com Pazolini, nas duas últimas semanas de dezembro, entre o Natal e o Ano Novo.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.