ASSINE

Menina morta a tiros em Vila Velha é sepultada vestida de Branca de Neve

A informação foi confirmada pelo autônomo Fabiano Celestino Frassi, primo do pai de Alice; o velório aconteceu na 1ª Igreja Batista, em Aribiri, Vila Velha

Publicado em 10/02/2020 às 16h28
Atualizado em 10/02/2020 às 19h45
Alice da Silva Almeida. Crédito: Arquivo pessoal
Alice da Silva Almeida. Crédito: Arquivo pessoal

A menina Alice da Silva Almeida, de apenas 3 anos, que morreu ao ser atingida por tiros no bairro Dom João Batista, em Vila Velha, na noite do último domingo (9), foi sepultada na tarde desta segunda-feira (10), às 16h, vestida com roupa da Branca de Neve. A informação foi confirmada pelo primo de Alice à reportagem de A Gazeta, que esteve no velório da menina.

A cerimônia aconteceu na 1ª Igreja Batista em Aribiri, em Vila Velha. Fabiano Celestino Frassi, autônomo, afirmou que este era o vestido que Alice mais gostava. "Ela era muito brincalhona. Fiquei sabendo que ela tinha sido baleada e que não resistiu. Na hora, ninguém acreditou", relembrou.

Quem também conversou com a reportagem foi o Edimilson Dalfior, tio do pai da Alice. Ele contou que todos almoçavam em família e que Giovanni (pai), Amanda (mãe) e Alice saíram da casa dele no final da tarde, depois de horas de confraternização e alegria.

"Ela era a única filha deles. Quando aconteceu, o Giovanni (pai da Alice), veio para minha casa falando que mataram a filha dele. Ele começou a dar murros na parede, segurei para que ele não se machucasse. Ninguém acreditou. Minha esposa quase desmaiou", detalhou Edimilson.

A costureira Lenir Reis também esteve no velório da Alice. A filha dela estuda na mesma escola em que a menina tinha começado a estudar, há uma semana. Segundo familiares, ela estava empolgada e feliz por começar no colégio.

Lenir Reis, costureira; ela tem uma filha matriculada na mesma escola em que Alice estudava. Crédito: Larissa Avilez
Lenir Reis, costureira; ela tem uma filha matriculada na mesma escola em que Alice estudava. Crédito: Larissa Avilez

Lenir Reis

Costureira

"Espero que tomem uma providência. Depois que aconteceu, não adianta mais. Precisa ter mais polícia na rua. Não é a minha filha, mas estuda no mesmo colégio da minha. Poderia ter sido ela. É muita violência"

Alice foi sepultada no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, em Vila Velha, às 16 horas.

TIROS E GRITARIA

De acordo com a autônoma Andressa Viguini, tiros e gritaria foram ouvidos durante o crime.

"Depois passou um carro correndo, que achei que era de quem tinha atirado, mas, na verdade, era quem estava socorrendo a Alice. Minha irmã levava ela todo dia para a escola de van. No velório parecia que ela estava dormindo, com a fantasia da Branca de Neve, batom e unha pintada. Ela era muito alegre e falava com todo mundo, era uma menina muito inteligente", comentou.

Andressa relatou que ela, que frequenta a igreja em que aconteceu o velório, nunca viu o local tão cheio, nem em culto de final de ano. "O crime chocou muito as pessoas aqui do bairro", finalizou.

HOMENAGEM

Em uma página no Facebook sobre Aribiri, bairro vizinho de Dom João Batista, há uma homenagem à menina. Veja abaixo.

AULAS CANCELADAS

Consternados com a morte da menina de 3 anos, professores da UMEI Maria da Glória Rauta, onde Alice estudava, cancelaram as aulas desta segunda-feira (10). Uma funcionária da creche avisou aos pais no portão da escola que os funcionários não teriam condições de trabalhar.

BRANCA DE NEVE

"Branca de Neve e os Sete Anões" é um clássico conto de fadas em que uma jovem princesa, "a mais bela de todas", em sua inocência, não pode ver qualquer um dos males do mundo. Há dois anos, no dia 9 de janeiro de 2018, a mãe da Alice publicou fotos da menina em um ensaio. Ela aparece com a fantasia da princesa.

Foto de Alice da Silva Almeida em 9 de janeiro de 2018; menina será sepultada com fantasia da Branca de Neve. Crédito: Reprodução | Facebook
Foto de Alice da Silva Almeida em 9 de janeiro de 2018; menina será sepultada com fantasia da Branca de Neve. Crédito: Reprodução | Facebook

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.