ASSINE

Família de vítima de ataque no Centro de Vitória quer deixar bairro

Esse não foi o primeiro episódio de violência vivido pelo jovem, que estava no carro que foi fuzilado no último domingo (4) e escapou dos tiros. Há dois anos, a casa dele foi um dos imóveis invadidos por criminosos em ataques no Moscoso e na Piedade

Publicado em 06/10/2020 às 11h49
Atualizado em 06/10/2020 às 15h40
Polícia fecha avenida no Centro de Vitória após troca de tiros
Polícia fechou avenida no Centro de Vitória após troca de tiros. Crédito: Poliana Alvarenga

Com trauma após o ataque a um carro que matou duas pessoas no Centro de Vitória no último domingo (4), familiares de um dos sobreviventes querem deixar o Moscoso, bairro onde moram.

A reportagem de A Gazeta conversou com a mãe do sobrevivente, de 23 anos. Ela não quis se identificar por medo de represálias, mas disse que a família quer morar em outro bairro.

"Fiquei com mais medo ainda (após o ataque), mas não tenho para onde ir, não tenho para onde correr. Se pudesse, tenho vontade de tirar ele daqui. Ou é sair daqui, ou então é não dormir e viver no medo", desabafou a mãe.

Esse não foi o primeiro episódio de violência vivido pelo jovem de 23 anos, que estava no banco do carona e foi o único do veículo que não foi atingido pelos mais de 40 disparos de arma de fogo.

O medo faz parte da rotina da família. Há dois anos, a casa do jovem foi um dos imóveis invadidos por criminosos que promoveram uma série de ataques no Moscoso e na Piedade. "Entraram em busca de alguém que não sei quem é, mas isso deixou todo mundo com muito medo. Inclusive algumas pessoas deixaram a comunidade após essas invasões", lembra a mulher.

JOVEM SE ABAIXOU

O jovem contou para a mãe que conseguiu sair ileso do ataque ao carro porque se abaixou para esconder quando ouviu os tiros. O crime aconteceu no último domingo e resultou na morte do técnico em Tecnologia da Informação, Kelvin Filgueiras da Silva, de 28 anos, e do motorista de aplicativo Adriano Ferreira do Amaral, de 39 anos, que conduzia o veículo.

As vítimas estavam em um carro vermelho na Avenida Governador José Sette quando criminosos a bordo de um automóvel branco realizaram os disparos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.