ASSINE

Após chuvas, nível do Rio Doce começa a baixar em Linhares e Colatina

Em Linhares, a água chegou a 5,80 metros de altura nesta manhã. No final da tarde, a marcação já era de 5,76 metros; já em Colatina, a água do rio chegou a medir 7, 79 m de altura durante a madrugada de quinta-feira (13)

Tempo de leitura: 3min
Linhares
Publicado em 13/01/2022 às 20h34
Rio Doce atingiu 5,26 metros nesta quarta-feira em Linhares
Rio Doce atingiu 5,80 metros nesta quinta-feira (13) em Linhares. Crédito: Eduardo Dias/TV Gazeta Norte

O nível do Rio Doce vem apresentando ligeira baixa após chegar, em Linhares, a 5,80 m de altura na manhã desta quinta-feira (13). No final da tarde, a marcação já era de 5,76 m.

A previsão da Defesa Civil é de que haja uma estabilização a partir de agora e de que essa baixa no nível de água do Rio Doce seja contínua. O diretor da Defesa Civil, Antônio Carlos dos Santos, explica que a redução no nível de água deve ser de 10 a 15 centímetros de quinta-feira (13) para sexta-feira (14).

“A gente vem percebendo uma redução no nível da água do Rio Doce em outras regiões, também em Ponte Nova, Nova Era, Governador Valadares, em Minas Gerais e na barragem de Mascarenhas. Linhares começou a acompanhar essa redução agora, então, a gente acredita que a água do Rio Doce deve abaixar sim, nas próximas horas”, afirmou.

Em Linhares, dois abrigos foram montados. No ginásio, do bairro Conceição, há 13 famílias, que totalizam 25 adultos e 10 crianças. Já no novo abrigo montado no ginásio poliesportivo do bairro Araça, estão 5 famílias, sendo 15 adultos e 8 crianças. Essas são as famílias resgatadas por um helicóptero do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo, o (NOTAER) que chegou em Linhares no início da tarde.

De acordo com a Defesa Civil, os resgates devem continuar nesta sexta-feira (14) nas regiões de Jataipeba, Agrovila e Povoação.

SITUAÇÃO EM COLATINA

Em Colatina, também no Norte do estado, a tendência é a mesma de redução no nível de água do Rio Doce. A Defesa Civil da cidade informou que a água chegou a medir 7, 79 m de altura durante a madrugada desta quinta-feira (13). No início da noite já estava em 7,32 m. Cerca de 29 famílias foram para casa de parentes ou amigos, mas a Defesa Civil diz que o número de famílias que tiveram prejuízo é maior. É o caso de quem vive da renda de hortas no bairro Maria das Graças, que perderam toda a produção.

Segundo a Defesa Civil de Colatina, ainda não há um prazo para que as famílias voltem para casa, porque o Rio Doce continua acima da cota de inundação, que é de 5,80 m de altura. Essas famílias só devem retornar para casa quando o nível sair da cota de alerta e de atenção, ou seja, quando estiver abaixo de 4,60 m de altura.

RESGATE DE HELICÓPTERO

Diante da cheia do Rio Doce, o helicóptero do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer) precisou ser acionado para dar apoio à Defesa Civil de Linhares e resgatar famílias que estavam ilhadas na tarde desta quinta-feira (13). O pedido de resgate foi feito por parte do Corpo de Bombeiros.

Ao todo, estão sendo resgatadas cerca de 30 pessoas das comunidades de Jataipeba, Povoação e Agrovilla, que é uma região que fica em Pontal do Ipiranga. São 11 famílias, entre elas, estão 5 gestantes, e várias crianças. Segundo o Notaer, esses moradores estavam sem mantimentos e necessitavam ser retirados do local com urgência.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.