ASSINE

Cheia do Rio Doce: helicóptero resgata famílias ilhadas em Linhares

Regiões de Povoação, Brejo Grande, Areal e Entre Rios estão tomadas pela água; aeronave do Notaer prestou apoio na tarde desta quinta-feira (13)

Tempo de leitura: 4min
À esquerda, enchente na comunidade de Brejo Grande; à direita, cheia do Rio Doce no distrito de Povoação. Ambos em Linhares
À esquerda, enchente na comunidade de Brejo Grande; à direita, cheia do Rio Doce no distrito de Povoação. Ambos em Linhares. Crédito: Telespectador - TV Gazeta | Montagem A Gazeta

Diante da cheia do Rio Doce, cujo nível não parou de subir nos últimos dias, o helicóptero do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer) precisou ser acionado para dar apoio à Defesa Civil de Linhares e resgatar famílias que estavam ilhadas na tarde desta quinta-feira (13). O pedido de resgate foi feito por parte do Corpo de Bombeiros.

Helicóptero do Notaer resgata famílias com casas alagadas em Linhares

Ao todo, estão sendo resgatadas cerca de 30 pessoas das comunidades de Jataipeba, Povoação e Agrovilla, que é uma região que fica em Pontal do Ipiranga. São 11 famílias, entre elas, estão 5 gestantes, e várias crianças. Segundo o Notaer, esses moradores estavam sem mantimentos e necessitavam ser retirados do local com urgência.

O resgate começou em Jataipeba. As imagens aéreas mostram como está a região. Depois disso, a equipe foi para a Agrovilla. Pelas imagens também é possível ver os moradores sendo retirados de suas casas.

No interior do município, várias regiões não têm nenhum acesso por via terrestre devido à enchente. É o caso do distrito de Povoação e das comunidades de Entre Rios, Brejo Grande e Areal. Nestas duas últimas, as estradas estão completamente alagadas e as pastagens foram cobertas pela água.

Cheia do Rio Doce causa alaga região de Brejo Grande, em Linhares

Morador de Entre Rios, o agricultor Vilson Fernandes contou que a água do Rio Doce chegou a atingir 1,60 m de altura dentro da própria casa. Segundo ele, há cerca de 30 residências alagadas na região, e os moradores já começam a sofrer com a falta de mantimentos e o desabastecimento de água.

"Eu consegui levar tudo que tinha para o segundo andar. Como tenho outra casa em Regência, fui para lá com a minha família, mas existem muitas pessoas que não têm para onde ir. Os moradores estão usando a água que ainda tem na caixa, mas a comida está acabando e precisamos de ajuda", desabafou.

5,78 metros

é o nível do Rio Doce na tarde desta quinta-feira (13) em Linhares

Rosival Santos é trabalhador rural e mora na comunidade de Agrovilla. Ele e a família foram resgatados pelo helicóptero. Eles são de Santa Luzia, na Bahia e acabaram de se mudar, ficaram surpresos com a cheia do Rio Doce. “A gente não sabia que a região alagava, foi uma surpresa pra gente. Está tudo alagado. É uma tristeza né, tudo cheio de água, alagado e não poder fazer nada”, afirmou o homem.

Raiane dos Santos Nascimento, que também é da Agrovilla foi levada para a base do Corpo de Bombeiros, que foi instalado no aeroporto de Linhares. Para ela, o momento é de muita tristeza, viu quase tudo que tinha sendo levado pela água. “A gente salva a nossa vida, difícil depois, é para conseguir ter as coisas de novo”, desabafa a moradora.

Em entrevista à TV Gazeta Norte, o ajudante geral Marco Antônio Cruz contou que vive situação semelhante. Morador de Povoação, ele tem três filhos pequenos e comentou que as duas estradas que dão acesso à comunidade foram tomadas pela água e que até as casas na região central estão alagadas.

Marco Antônio Cruz

Morador de Povoação, em Linhares

"A gente está em uma situação muito complicada. Eu tenho criança pequena, que precisa de fralda e remédio, mas estamos sem. Tem que ir para Linhares para comprar, mas como vai?"

Também morador do distrito, Braz Alves disse que alguns moradores até conseguiram ir para o perímetro urbano de Linhares nesta quarta-feira (12), com um ônibus. No entanto, nesta quinta-feira (13), o trajeto, mesmo com um veículo alto, já não era possível de ser feito.

Distrito de Povoação continua ilhado com cheia do Rio Doce

De acordo com informações da Defesa Civil municipal, o Rio Doce chegou a atingir 5,80 metros nesta manhã. Horas depois, uma ligeira baixa começou a ser notada. Ainda assim, vale lembrar que o nível está a mais de dois metros acima da cota de inundação, que é de 3,45 metros.

De acordo com a Defesa Civil de Linhares, o helicóptero busca as famílias nas regiões afetadas pela cheia do Rio Doce e aterrissado no aeroporto da cidade. De lá, os moradores das regiões ribeirinhas são levados por um veículo da prefeitura até os abrigos da cidade, o ginásio do bairro Conceição e para um novo abrigo que foi montado no ginásio do bairro Araça.

Segundo a Defesa Civil, o nível do Rio Doce na manhã desta quinta-feira (13) chegou a 5 metros e 80 centímetros. Durante à tarde foi para 5 metros e 78 centímetros. A expectativa é de que haja uma redução do nível de água, de 10 a 15 centímetros de quinta-feira (13) para sexta-feira (14).

Com informações de Erika Carvalho, da TV Gazeta Norte

A Gazeta integra o

Saiba mais
Linhares Rio Doce Notaer alagamento ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.