ASSINE

Rio Doce segue subindo e 12 famílias ficam desabrigadas em Linhares

Moradores das regiões de Olária e Jataipeba precisaram deixar suas casas e estão em um ginásio; vídeo mostra cadeirante sendo resgatado

Tempo de leitura: 2min

O nível do Rio Doce – que atravessa três cidades do Norte do Espírito Santo – continua subindo e chegou a 5,60 metros no final da tarde desta quarta-feira (12), em Linhares. O nível atingido supera em mais de dois metros a cota de inundação. Em decorrência da cheia, 12 famílias estão desabrigadas e sendo acolhidas em um ginásio esportivo.

As regiões mais afetadas são o bairro Olaria e a comunidade de Jataipeba, no interior do município, onde o cadeirante Werley Vieira ficou ilhado em uma fazenda e precisou ser resgatado por uma equipe do Corpo de Bombeiros, junto da mulher. O vídeo abaixo mostra o momento do socorro:

No distrito de Povoação, os moradores também estão ilhados. A ES 248 está interditada e na ES 010 só veículos altos ainda conseguem passar. Três famílias que moram na região precisaram ser retiradas de barco. Produtores rurais têm resgatado animais que ficam em terrenos marginais.

De acordo com a Defesa Civil de Linhares, toda a região ribeirinha do município já foi atingida pela cheia do Rio Doce. Na localidade de Brejo Grande, por exemplo, motoristas não conseguem passar pela estrada. A expectativa é que o nível do rio chegue a 5,70 metros até às 23h desta quarta-feira (11).

3,45 metros

é a cota de inundação do Rio Doce em Linhares, no Norte do ES

Apesar dos últimos dias não terem sido de chuva na cidade, a cheia do Rio Doce é consequência das fortes precipitações registradas em Minas Gerais – região da nascente e por onde percorrem outros importantes rios que são afluentes da bacia hidrográfica, como os Piracicaba e Santo Antônio.

A Defesa Civil de Linhares afirmou que permanece em alerta, com um esquema de plantão 24 horas e pede aos moradores de áreas de risco para redobrarem a atenção. As equipes podem ser acionadas pelo telefone (27) 9 9983-5661 ou pelos números 153 (da Guarda Civil) e 193 (dos Bombeiros).

A Gazeta integra o

Saiba mais
Chuva no ES Linhares Rio Doce chuva defesa civil

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.