ASSINE

Secretário de Segurança do ES: "Vamos partir para cima da criminalidade"

Coronel Alexandre Ramalho, que assumiu a Secretaria de Segurança Pública,  anunciou que vai retomar operações repressivas

Publicado em 07/04/2020 às 20h49
Atualizado em 07/04/2020 às 20h54
Novo secretário de Segurança Alexandre Ramalho com Comandante-Geral da PM Coronel Caus
Novo secretário de Segurança Alexandre Ramalho com Comandante-Geral da PM Coronel Douglas Caus. Crédito: Reprodução Governo do Estado

“Vamos partir para cima da criminalidade.” A promessa foi feita pelo coronel Alexandre Ramalho, que assumiu nesta terça-feira (07) a Secretaria de Estado da Segurança (Sesp). Ao seu lado o novo comandante da Polícia Militar, coronel Douglas Caus, informou que a “caçada” começa já neste final de semana. “Ações de curto prazo estão sendo montadas hoje e amanhã para surtirem efeito já no final de semana”, garantiu.

As mudanças no comando da Secretaria e da Corporação foram anunciadas na tarde desta segunda-feira (06), pelo governador Renato Casagrande, com o argumento de que alterações eram necessárias para conter o avanço da criminalidade. Ele se refere ao crescimento do número de homicídios que, em março, alcançou o número de 143 assassinatos, a maior estatística desde a greve dos militares em 2017. Só no último final de semana foram registradas 15 mortes.

Ramalho anunciou que os dois pilares da sua gestão serão a atuação integrada das polícias Militar e Civil, e o foco na inteligência. Adiantou que também serão retomadas as operações repressivas. “Há quanto tempo vocês não noticiam a apreensão de uma carga de tonelada de drogas? Há quanto tempo não noticiam um cumprimento de mandado de busca e apreensão por parte da PM?”, assinalou, durante a coletiva de imprensa. 

Já o novo comandante da PM prometeu direcionar mais policiais para as regiões com os maiores índices de homicídios. "Estamos analisando os cenários e dados estatísticos, para direcionar os policiais para as regiões onde tem mais homicídios de atuação dos traficantes. Iremos, literalmente, caçar esses indivíduos a partir de agora. Ações de curto prazo estão sendo montadas hoje e amanhã para surtirem efeito no final de semana", ressaltou o coronel Douglas Caus.

Veja abaixo alguns pontos da entrevista concedida pelo secretário na tarde desta terça-feira (06).

INTEGRAÇÃO

"A nossa proposta a partir de hoje é trabalhar em conjunto, com integração entre a Polícia Militar e a Polícia Civil. Temos delegados empenhados na questão da redução dos homicídios, no monitoramento do tráfico de drogas que protagoniza cenas violentas nas áreas de vulnerabilidade social, temos inquéritos estão sendo bem conduzidos, apontamentos sendo direcionados, assim como os coronéis que comandam as unidades da PM e também possuem informações.  O que temos que fazer é juntar as informações e entrar com a operacionalidade."

"Vamos trabalhar com a polícia integrada, respeitando o papel de cada polícia, e com a inteligência, subsidiando os policiais com informações. Precisamos ainda da integração com o Poder Judiciário, com o Ministério Público, com os municípios, que têm papel fundamental na segurança."

PRISÕES DE TRAFICANTES E HOMICIDAS

"Precisamos retomar as operações, perceber onde estão os homicidas, entender o tráfico de entorpecentes, o papel que está desempenhando e a atrocidade que traz para as comunidades. E prender, efetivamente prender, e pedir que estes indivíduos permanecem atrás das grades. Para isso precisamos de qualidade nas nossas operações e nas prisões para que, efetivamente, coloquemos o tráfico, principalmente o traficante, atrás das grades."

SOLTURA DE PRESOS DURANTE PANDEMIA

 "Isto não deve ser feito para quem comete homicídios. Este é o cuidado que temos que ter ao implementar esta medida, que precisa de um acompanhamento rigoroso. Tem que manter preso quem vai trazer problema para a sociedade."

AÇÃO RÁPIDA DA POLÍCIA

"O tempo é imediato. Não temos tempo para esperar. Temos que correr atrás dos dados de inteligência, nos reunirmos com a PC e PM, traçar estratégias, é o que temos que oferecer para a sociedade capixaba. E a partir daí partir para cima da criminalidade com os bons policiais que temos nas nossas instituições. Não temos outra receita. Temos que partir para cima da criminalidade."

COMBATE AO TRÁFICO

"Precisamos retomar as operações. Há quanto tempo vocês não noticiam a apreensão de uma carga de toneladas de drogas? Há quanto tempo não noticiam um cumprimento de mandado de busca e apreensão por parte da PM? Está tudo bem nos locais onde o tráfico executa suas comercializações? Não, não está, tanto que os números estão aumentando."

"Para partir para cima da criminalidade  precisamos desta integração e parceria, precisamos retomar operações repressivas em áreas que estão se tornando de risco. Vamos atuar com inteligência e sensibilizar o Poder Judiciário, o Ministério Público, respeitando as especificidades de cada instituição".

Os sete presos beneficiados cometeram delitos  sem violência ou grave ameaça
Crédito: Divulgação DPES

SAQUES AO COMÉRCIO NA PANDEMIA

"O Estado precisa estar preparado para cenários possíveis ocasionados pela pandemia, como saques ao comércio e assaltos a casas. Precisamos trabalhar para evitar o caos. A ostensividade da PM tem papel importante porque leva sensação de segurança para o cidadão e inibe o criminoso, que é covarde. Ao ver um giroflex ligado, ele não vai agir."

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.