ASSINE

Sebrae/ES faz campanha para incentivar compras no comércio local

Campanha "Compre do Pequeno", iniciada nesta segunda (10), destaca a importância de se impulsionar micro e pequenos negócios para a recuperação do emprego e renda diante da crise

Publicado em 10/08/2020 às 16h40
Atualizado em 10/08/2020 às 16h40
Vitrine de bolos em confeitaria ou padaria
Vitrine de bolos em confeitaria:  campanha destaca toda a cadeia envolvida na comercialização de um produto por um micro ou pequeno empreendedor. Crédito: Freepik

Diante dos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus em pequenos negócios em todo o país e com o objetivo de incentivar práticas que ofereçam impulso para que empreendedores locais mantenham suas empresas abertas, favorecendo uma retomada sustentável da economia, o Sebrae/ES inicia, nesta segunda-feira (10), a campanha "Compre do Pequeno". A iniciativa é voltada para fortalecer o comércio local, impulsionando micro e pequenos negócios.

A campanha destaca a cadeia produtiva envolvida na comercialização de um produto, até mesmo de um simples bolo ou cafezinho, ressaltando a importância do consumo consciente, que valoriza empreendedores locais e fortalece a economia da região. De acordo com a instituição, ao consumir em um pequeno comércio local, o cliente está fomentando essa economia, assim como um empreendedor, ao comprar insumos para seu negócio vindos de uma pequena empresa. 

“Ao valorizar os pequenos negócios, consumir produtos locais, colaboramos com toda a sociedade. Isso porque o ecossistema de pequenas empresas, comércios, serviços, e produção rural, envolve e mobiliza não só um empreendedor, mas toda comunidade ligada a ele”, explica o superintendente do Sebrae/ES, Pedro Rigo.

Rigo ressalta também que este é um momento ímpar para todos e que as pessoas e empresas precisam se apoiar. “Essa crise da pandemia foi algo imprevisível que surgiu e afetou todas as empresas, das menores às maiores. Porém, as pequenas foram as mais atingidas. Uma pesquisa do Sebrae mostrou que, no Espírito Santo, 88% dos pequenos negócios diminuíram o faturamento durante a pandemia. E são esses que seguram os empregos e a renda do estado e do país. Precisamos, nesse momento de grandes desafios, nos unirmos: sociedade, empresários, entidades e instituições, para podermos dar a volta por cima. Juntos somos mais fortes!”, afirma.

O movimento reforça ainda a importância de respeitar protocolos de saúde e segurança na reabertura gradativa da economia. O Sebrae/ES irá orientar os empresários com a disponibilização de protocolos para vários segmentos, seguindo as determinações do governo do Estado. Mais detalhes sobre a campanha podem ser acessados em sebraees.com.br/compredopequeno.

Empreendedores que buscam orientação podem receber atendimento junto ao Sebrae, por meio dos canais Fale com o Sebrae (es.sebrae.com.br), que funciona das 8h às 18h; WhatsApp, pelo telefone (27) 3041-5500, das 8h às 18h; e a Central de Atendimento 0800 570 0800.

PARCERIAS FORTALECEM O EMPREENDEDORISMO

Empreendedores destacam que valorizar o comércio local beneficia toda uma cadeia produtiva. O chef de cozinha José Hermínio Ribeiro, por exemplo, começou a fazer marmitas saudáveis para a mulher levar para o trabalho e nunca mais parou. Ele, que oferece suas refeições com produtos orgânicos, dá preferência aos feirantes da Praia da Costa. “Com o tempo comecei a perceber que tinha que fortalecer o pequeno negócio e comecei a buscar essas alternativas aqui no bairro. Os produtos são de muita qualidade. Compro também diretamente com os produtores, e está funcionando muito bem”, conta.

Para Paulo Gonçalves, que é sócio-proprietário e fundador da empresa familiar Espírito Cacau, dessa forma uma pequena empresa consegue ir mais longe. “A pequena empresa geralmente não consegue manter vários representantes para levar seus produtos para longe. Se não tiver ajuda do comércio local, das confeiteiras, das padarias, se não tiver esse trabalho para ajudar, não consegue fazer com que seu produto chegue aos clientes. Valorizamos muito essa parceria, que nos permite alcançar mercados mais distantes”.

O empresário também ressalta que ao escolher fornecedores da região, fortalece toda a cadeia. “Nesse momento de pandemia, os custos só aumentam. Se todo mundo ajudar a cadeia, vai aumentar o consumo, aumentar a produção da indústria, da fazenda, do comércio, quer dizer, fazer com que gire toda a economia. Gira para as pequenas padarias, para as boleiras, ajuda todo mundo”, salienta.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.