ASSINE

"Verão precisa ser mais contido", alerta Renato Casagrande

A orientação é para evitar as tradicionais comemorações que podem resultar em aglomerações e em aumento dos casos de Covid-19

Publicado em 20/11/2020 às 20h39
Mesmo diante da pandemia, as praias da Grande Vitória ficaram lotadas neste domingo, 27
Preocupação é com praias lotadas e festas durante a pandemia. Crédito: Fernando Madeira

Diante do aumento do número de casos de contaminação pelo novo coronavírus no Espírito Santo, o governador Renato Casagrande fez um alerta para que a alta temporada, com início no próximo dia 21 de dezembro, seja mais controlada. “Verão precisa ser mais contido”, disse ele, ao se referir a festas e aglomerações mais frequentes nesta época. O alerta foi feito durante pronunciamento realizado na tarde desta sexta-feira (20)

Casagrande observou que não há uma vacina disponível para a população ainda este ano, e que o tema ainda tem levantado discussões políticas. "Nós não teremos a vacina neste ano, então esse verão precisará ser mais contido. Quando houver a disponibilidade da vacina, não conseguirá atingir todas as pessoas ao mesmo tempo. Temos ainda uma polêmica em torno dessas vacinas, é um assunto que está politizado. Estamos cientes que teremos que conviver com a pandemia neste verão", constatou.

O governador também pediu o apoio dos municípios na fiscalização de festas e aglomerações, que podem aumentar o risco do contágio e, por consequência, pressionar o sistema de saúde com mais atendimentos e internações.

Casagrande destacou que o governo estadual pretende começar, de novo, um trabalho mais forte de fiscalização em torno das aglomerações. “Mas o Estado sozinho não consegue fazer. Os municípios têm um papel grande na fiscalização e no isolamento de casos ativos, para que a gente possa barrar o contágio", afirmou.

Casagrande lembrou que não há nenhuma previsão de restrições maiores às atividades, mas que tudo dependerá do comportamento das pessoas. “Elas serão maiores ou menores de acordo com o nosso comportamento."

O governador pediu ainda um cuidado maior com os protocolos sanitários, com o uso de máscara, higienização das mãos, o distanciamento social e que se evite aglomerações. Destacou também que “precisamos de muita empatia, de uma pessoa se colocar no lugar da outra”, ao falar sobre os dados de contaminação no Estado. No mês de outubro, mais de 60% das pessoas contagiadas, segundo exames feitos no Laboratório Central (Lacen), tinham idade média de 29,5 anos.

Por outro lado, mais de 60% das pessoas internadas em UTI tinham mais de 45 anos de idade. “Então, os jovens são mais resistentes, às vezes, por isso saem mais e interagem mais. Mas, muitas vezes, acabam levando a doença para dentro de casa ou contagiando alguém de mais idade. É importante termos empatia. Essa doença exige essa corresponsabilidade", concluiu. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.