ASSINE

Números mostram o atual risco da transmissão da Covid-19 no ES

Casos ativos dos últimos 28 dias subiram de 4 mil para 5 mil; taxa de ocupação das UTIs potenciais também está perto do nível de alerta da matriz de risco

Vitória
Publicado em 20/11/2020 às 19h45
Atualizado em 20/11/2020 às 21h08
Renato Casagrande relembrou que Covid-19 é uma doença de corresponsabilidade entre governo, setores da sociedade civil e população
Renato Casagrande relembrou que a Covid-19 é uma doença de corresponsabilidade entre governo, setores da sociedade civil e população. Crédito: Reprodução

No pronunciamento desta sexta-feira (20), o governador Renato Casagrande detalhou quatro números que indicam o agravamento da pandemia do novo coronavírus no Espírito Santo, durante as últimas semanas. Entre eles, há aqueles que influenciam diretamente na classificação dos municípios.

É o caso, por exemplo, da taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) potencias do Estado, que já esteve em 45%, mas que na divulgação do novo mapa de risco chegou a 49,2% – apenas 0,8 pontos percentuais abaixo do nível que é considerado de alerta pela atual matriz de risco.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"Na hora que essa ocupação chegar a 50%, mais municípios serão enquadrados e classificados como de risco moderado. Talvez alguns até em risco alto, se a gente continuar com esse crescimento na próxima semana"

Vale lembrar que este índice é o único que compõe o eixo vulnerabilidade e um alerta parecido tinha sido feito pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) no início deste mês. Devido ao aumento já registrado, quatro cidades voltarão para o risco moderado a partir de segunda-feira (23), incluindo Vitória e Cariacica.

Já no eixo ameaça da matriz de risco, são considerados três indicadores municipais, entre os quais o número de casos ativos dos últimos 28 dias – que também apresentou piora, de maneira geral. "Há cerca de um mês e meio, tínhamos em torno de 4 mil casos. Agora, já estamos com 5 mil", afirmou Casagrande.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"Contagiados por dia, chegamos a 500 ou 600. Hoje, estamos identificando 1.000 por dia"

O último dos dados detalhados por ele neste final de tarde foi a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. "Já chegamos a nove e agora estamos entre 12 ou 13", indicou o governador. A Gazeta já mostrou que, na primeira quinzena de novembro, o número de óbitos voltou a crescer no Estado.

Na tentativa de conter o avanço da pandemia, Casagrande afirmou que as medidas de restrições para cada nível de risco serão reavaliadas semanalmente, e adaptadas de acordo com o comportamento do capixaba. O trabalho de fiscalização de aglomerações também deve ser intensificado e, para tanto, o governador espera contar com os municípios. 

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.