Prédio do Cais do Hidroavião encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira

União entrega Cais do Hidroavião para Vitória, mas imóvel fica abandonado

Visita da reportagem ao local revelou que o imóvel se encontra com a estrutura sendo destruída pela ação do tempo

Publicado em 10/08/2020 às 10h30
Atualizado em 10/08/2020 às 14h06

O Cais do Hidroavião, localizado no bairro Santo Antonio, em Vitória, que pertence à União, foi cedido para a Capital em julho do ano passado. Uma visita ao local revelou que ele se encontra em situação de abandono, com a estrutura sendo destruída pela ação do tempo e por quem invade o espaço.

Na tarde desta quarta-feira (05), a equipe de A Gazeta encontrou destruição, paredes queimadas, fogões improvisados por moradores de rua, madeira fazendo a divisão de locais para dormir, vidros quebrados e sujeira. Há ainda partes do local que estão sofrendo a ação do tempo, com ferragem exposta, por falta de manutenção.

Apesar das portas da frente terem sido fechadas por alvenaria, é possível entrar pela lateral, com certa facilidade, e percorrer todo o espaço. O fotógrafo Fernando Madeira encontrou algumas pessoas que entraram no imóvel e estavam na parte superior.

O Cais do Hidroavião fica em uma das áreas mais bonitas da cidade e a vista do local revela verdadeiros cartões postais. Atualmente, foi invadido por moradores de rua e usuários de droga.

CONTRATO DE CESSÃO

A cessão gratuita para a Prefeitura de Vitória foi assinada em 4 de julho de 2019. É válida por um período de 20 anos. Segundo o extrato do documento, publicado no Diário Oficial da União, o imóvel possui área de marinha acrescido que totaliza 1.019,71 m² e área construída de 430,01 m².

Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira

A finalidade de uso, segundo o documento, é a “recuperação do imóvel para valorização do patrimônio natural e cultural”. Informações obtidas pela reportagem indicam que, pelo contrato, a prefeitura não pode fazer cessão do espaço para nenhuma entidade privada.

OUTRO IMÓVEL ABANDONADO

O Cais do hidroavião está localizado em região próxima a outro imóvel também da União, o Centro Cultural Carmélia Maria de Souza - incluindo o teatro -, que também foi cedido pela União ao município de Vitória e ao Estado.

A propriedade está sendo retomada pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU-ES), após realizar vistoria no local e constatar a situação de abandono. Após uma reforma, a área vai retornar para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que utilizará o espaço para o armazenamento de grãos.

Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira

PREFEITURA LANÇA EDITAL PARA OCUPAR ÁREA

No último dia 21 de julho, a Prefeitura de Vitória lançou um edital de chamamento público para instituições sem fins lucrativos que estejam interessadas em desenvolver projetos no Cais do Hidroavião.

Segundo Renzo Nagem, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Vitória, as propostas devem contemplar o restauro do imóvel e colocar em uso com finalidade turística, cultural e gastronômica. “O município fará a seleção da melhor proposta de acordo com os critérios estabelecidos no edital”, relatou.

O prazo para a apresentação das propostas se encerra no próximo dia 21, às 18 horas. Até esta quinta-feira (06), segundo Renzo, o edital havia sido baixado no site da prefeitura 20 vezes, o que indica o número de interessados em conhecer o processo.

Se ao final do processo nenhuma proposta for apresentada ou selecionada, Renzo informa que poderá ser aberto um novo edital. Outra alternativa pode vir de investimentos do exterior.

INVESTIMENTO

É que o  Cais do Hidroavião era um dos pontos de distribuição de correspondências que vinham da França, a chamada aeropostagem. Um trabalho que à época era desenvolvido pela empresa Aeropostale.

De acordo com Renzo, há uma instituição que está resgatando a história da empresa francesa, refazendo a rota do avião, desde a França. “Já fizeram a restauração em outros locais e num futuro recente pode ser que recursos desta instituição aportem neste imóvel. É um plano B”, pontuou.

Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado
Prédio do Cais do Hidroavião, o primeiro aeroporto do Estado, encontra-se abandonado. Crédito: Fernando Madeira

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.