ASSINE

Ômicron no ES: saiba como se proteger da nova variante e onde fazer teste de Covid

Dados do governo do Espírito Santo indicam que a variante Ômicron do coronavírus já é predominante nos exames analisados pelo Laboratório Central

Tempo de leitura: 9min
Publicado em 11/01/2022 às 08h17

Dados divulgados pelo governo do Estado indicam que 97 a cada 100 casos de coronavírus no Espírito Santo são provocados pela Ômicron. A mutação é a quinta e mais recente classificada como variante de preocupação.

A explosão de casos da cepa em território capixaba foi confirmada pelo secretário de Estado da Saúde Nésio Fernandes em pronunciamento nesta segunda-feira (10). De acordo com o Painel Covid-19, o Estado tem 19.226 casos ativos.

A Ômicron representava 3% dos casos no início do mês de dezembro de 2021. No fim da primeira semana de janeiro de 2022,  quase todos os casos de Covid-19 são da nova mutação.

Nésio Fernandes 

Secretário de Estado da Saúde

"No Espírito Santo observamos que saímos de 3% de presença no início do mês de dezembro para 97% na última sexta-feira [7 de janeiro], caracterizando uma reprodução do rápido crescimento da variante"

 O médico infectologista Crispim Cerutti Júnior acredita que a chegada da cepa pode ocasionar um elevado número de contaminados nos próximos meses no Espírito Santo. Segundo ele, a maioria das pessoas que evoluem para o quadro grave de infecção não tomaram a vacina ou estão com o esquema de imunização incompleto.

“Temos observado uma evolução mais branda dos casos de infecção pela Ômicron. Isso não pode ser atribuído ao fato de ser um comportamento da variante porque tem também o impacto da vacinação, do grande volume de pessoas vacinadas”, lembra.

Em entrevista à rádio CBN Vitória nesta segunda-feira (10), a doutora em Epidemiologia e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Ethel Maciel, destacou que a Ômicron é mais transmissível que as outras versões do vírus.

Ethel Maciel

Epidemiologista

"A qualquer sinal e sintoma de síndrome gripal, se isole. Procure o teste para confirmar, mas fique isolado para contaminar menos pessoas. Sem sombra de dúvidas, procure sua dose de reforço da vacina porque ela te deixa mais protegido"

Além do uso de máscaras, distanciamento social e a aplicação das vacinas, Crispim sugere o retorno de medidas mais restritivas, como aquelas adotadas no início da pandemia. Ele ressalta que esse tipo de estratégia seria interessante do ponto de vista sanitário, mas precisa ser pensado de “forma meticulosa” como política pública.

“O cenário ideal seria recomendar que as pessoas fiquem o máximo possível dentro de casa, que as atividades econômicas voltassem ao processo de trabalho remoto o mais rápido possível e que se adotasse rigidamente todas as precauções de distanciamento e de contato", sugeriu.

QUAL A MÁSCARA IDEAL?

Nas palavras de infectologistas, o uso de máscara é essencial, mas é ainda mais importante escolher bem qual tipo usar, observando o material, a duração e a qualidade do item. Considerando o momento atual, a prioridade são os modelos PFF2 e N95.

Nas palavras de infectologistas, o uso de máscara é essencial, mas é ainda mais importante escolher bem qual tipo usar, observando o material, a duração e a qualidade do item. Considerando o momento atual, a prioridade são os modelos PFF2 e N95.

Segundo especialistas consultados por A Gazeta, é preciso procurar máscaras que tenham ao menos três camadas de proteção. Camada única ou dupla não são suficientes para proteção contra uma nova variante que se transmite com mais facilidade.

  1. PFF2 E N95: essas máscaras são muito usadas em ambientes hospitalares, mas também devem ser priorizadas por pessoas fora do ambiente médico. São as melhores máscaras para evitar a entrada do vírus. Apesar do alto grau de proteção, é preciso ficar atento ao ajuste no rosto, sem deixar espaços nas laterais ou ao redor do nariz;
  2. Máscara cirúrgica: possui proteção suficiente contra o coronavírus. Segundo especialistas, usar duas máscaras iguais, uma sobre a outra, pode garantir ainda mais segurança.
  3. Máscara cirúrgica + máscara de tecido: a proteção pode ser reforçada caso você adicione uma máscara com pelo menos três camadas de pano na frente da máscara cirúrgica. O tecido ajudará a máscara cirúrgica a se fixar melhor no rosto.
  4. Máscara de tecido com três camadas: esse modelo não protege como a PFF2 e N95, mas garante algum grau de proteção. É preciso ao menos três camadas.
Máscaras do tipo N95 ou PFF2 são as mais indicadas contra a Covid-19
Máscaras do tipo N95 ou PFF2 são as mais indicadas contra a Covid-19. Crédito: Shutterstock

QUAL MÁSCARA NÃO É RECOMENDADA?

  • Máscara de pano com uma ou duas camadas: aquele item que está no fundo do armário, foi utilizado desde o início da pandemia e lavado milhares de vezes deve ser deixado de lado.
  • Bandana: não adianta ficar estiloso se você ficar desprotegido. Se a prioridade é a saúde, coloque a bandana na cabeça e utilize uma máscara N95 ou cirúrgica no rosto;
  • N95 com válvula. Sim, isso mesmo, você não leu errado. A diferença entre a N95 e a N95 com válvula é a segurança das pessoas ao seu redor. A presença da válvula protege quem usa o equipamento, mas expõe ao risco todos os demais;
  • Máscara de acetato: a máscara de acetato é transparente e facilita, por exemplo, a leitura labial, mas não oferece proteção necessária contra o novo coronavírus;
  • Face shield:  o item pode até ser usado junto da máscara, mas nunca sozinho, já que não garante qualquer proteção ao nariz e boca.
Teste de Covid-19
Teste de Covid-19. Crédito: Myke Sena/MS

VEJA OS LOCAIS ONDE HÁ TESTES NA GRANDE VITÓRIA

VITÓRIA

Onde e quando: o teste rápido de Covid é feito nas Unidades de Saúde dos bairros Alagoano, Andorinhas, Consolação, Forte São João, Ilha das Caieiras, Itararé, Jabour, Jardim da Penha, Maruípe, Santa Luíza, Santo André e Centro, que funcionam normalmente das 7h às 17h, a depender de adequações. O munícipe é avaliado pelo profissional da unidade e, se necessário, encaminhado para a realização do teste. Já o teste PCR é realizado no Centro de Testagem, localizado na Ilha de Santa Maria.

É preciso agendar? Como informado pela prefeitura, a realização do teste depende de uma avaliação prévia do paciente.

VILA VELHA

Onde e quando: testes para Covid-19 estão disponíveis em todas as Unidades de Saúde de Vila Velha, sempre a partir das 8h, e nos postos volantes: Vila Natalina, das 18h às 21h, e Centro Integrado, das 9h às 17h.

É preciso agendar? Não há necessidade de agendamento, mas senhas estão sendo distribuídas nos locais.

SERRA

Onde e quando: os testes RT-PCR são realizados em cinco Unidades Regionais de Saúde. São elas: Boa Vista (das 7 às 17h), Feu Rosa (das 7 às 21h), Novo Horizonte (das 7 às 19h), Jacaraípe (das 7 às 21h) e Serra Dourada (das 7 às 21h) e nas Unidades Básicas de Saúde de Planalto Serrano A (das 7 às 17h) e Nova Carapina II (das 7 às 17h). Nesses locais, a testagem está sendo feita mediante solicitação médica. Os sintomáticos e contatos são testados. A Prefeitura da Serra também oferta teste de RT-PCR por livre demanda, no Laboratório Municipal da Serra, localizado em anexo à Maternidade de Carapina, em Jardim Limoeiro. O atendimento acontece de segunda a sexta, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Não há necessidade de encaminhamento médico.

É preciso agendar? Como explicado acima, o agendamento é necessário em alguns locais. Caso você queira ser testado sem agendamento, procure o Laboratório Municipal da Serra. Mais informações pelo 3338-6869.

CARIACICA

Onde e quando: de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, os testes estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde de Alto Lage, Bela Vista, Campo Verde, Cariacica-Sede, Flexal II, Itapemirim, Jardim América, Jardim Botânico, Mucuri, Nova Brasília, Nova Canaã, Nova Rosa da Penha II, Novo Brasil, Operário, Oriente, Padre Gabriel, Porto de Santana, Santa Luzia, Santana, São Geraldo, São João Batista, Sotelândia e Vila Graúna. De segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, os testes podem ser feitos nas Unidades de Bela Aurora, Itaquari, Rio Marinho, Santa Bárbara, Santa Fé, São Francisco e Valparaíso. No Centro de Testagem de Itaquari os testes estão disponíveis todos os dias, das 8h30 às 18h. Os moradores de Cariacica também podem contar com dois pontos externos de testagem, que funcionam de segunda sexta-feira: na Ceasa, das 8h 16h; e no Terminal de Jardim América, das 12h às 20 horas.

É preciso agendar? Não é preciso realizar agendamento, a testagem ocorre em livre demanda.

FUNDÃO

Onde e quando: a testagem de assintomáticos acontece das 9h às 10h nos seguintes dias: UBS de Timbuí às terças-feiras; UBS de Praia Grande às terças e sextas-feiras; Especialidades de Fundão Sede de segunda a sexta-feira.

É preciso agendar? A testagem ocorre por livre demanda, sem agendamento.

VIANA

Onde e quando: o teste antígeno de Covid-19 (também conhecido como teste rápido) e o RT-PCR são ofertados por livre demanda, no ponto de coleta localizado na UBS Vila Bethânia. O horário funcionamento é das 8h às 15h, de segunda a sexta-feira, nesta semana. A prefeitura orienta que as pessoas sintomáticas procurem a unidade de saúde do seu território de residência para atendimento.

É preciso agendar? Não há necessidade de agendamento, a testagem ocorre no modelo de livre demanda.

GUARAPARI

Onde e quando: a orientação é para que a população procure a unidade de saúde de referência no bairro, das 7 às 16 horas, de segunda a sexta-feira, em casos de sintomas leves. O atendimento para esses casos não precisa de agendamento. A população pode procurar também o Centro de Testagem de Covid-19, localizado em Muquiçaba, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, e aos sábados de 08h às 12h. Os pacientes só devem procurar a UPA em casos de sintomas graves.

É preciso agendamento? A testagem ocorre por livre demanda, sem necessidade de agendamento.

TESTAGEM EM MASSA NO ES

Até o dia 31 de março, o Espírito Santo pretende promover testagem em massa contra a Covid-19. Pontos estratégicos foram selecionados. Os testes podem ser feitos sem necessidade de agendamento. Caso você queira marcar horário, basta acessar o site para agendamentoSaiba onde fazer o teste disponibilizado pelo governo do Estado:

 Aeroporto de Vitória

Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: 8h às 16h, por agendamento ou livre demanda aos estudantes e servidores do local.

Centro de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES), em Cariacica

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: 8h às 16h, por agendamento e livre demanda.

 Hospital Estadual Central (HEC), em Vitória

  • Dias: Todos os dias da semana. Horário: 13h às 18h, por agendamento.

Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: 8h às 11h30; 12h30 às 15h30, por agendamento.

Centro de Reabilitação Física do Espírito Santo (Crefes), em Vila Velha

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: 8h às 11h e de 13h às 16h, por agendamento.

Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, em Serra

  • Dias: segunda-feira a domingo. Horário: 7h30 às 11h30; 13h30 às 18h, por agendamento.

Hospital Estadual Roberto Arnizaut Silvares (HRAS), em São Mateus

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: 12h às 18h, por agendamento.

Rodoviária de Colatina

  • Dias: segunda a sexta-feira. Horário: segunda a quinta, das 8h às 16h. Sexta-feira, das 8h às 12h. Os testes estão disponíveis por livre demanda ou agendamento on-line.

TESTES EM PARCERIA COM REDE PRIVADA

O secretário de Estado da Saúde detalhou que acordos do governo estadual com redes privadas podem facilitar a testagem de antígeno. Segundo Nésio Fernandes, a Federação da Unimed no Espírito Santo coopera com o Estado para que os serviços do convênio ofertem os testes disponibilizados pelo governo.

O acordo aumenta o número de postos de testagem por livre demanda. Ainda não há data de início da testagem. Não conveniados também terão acesso aos testes. Nésio detalhou que aproximadamente 1,5 milhão de testes devem chegar ao Estado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.