ASSINE

Médico explica riscos de atividade física em academia, praia e prédio

Henrique Bonaldi alerta que, mesmo com a estabilização da curva da doença no Espírito Santo, permitindo o retorno de algumas atividades, não é o momento de descuidar

Publicado em 27/07/2020 às 15h54
Atualizado em 27/07/2020 às 15h55
Mulher malhando na academia: como não desistir do exercício
Atividade física em ambientes fechados exige cuidados redobrados . Crédito: Unsplash

Com a flexibilização no acesso a praias, calçadões e ciclovias e a autorização de funcionamento de academias, na Grande Vitória, após quatro meses de isolamento imposto pela pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas estão retornando à rotina de atividades físicas. Mas, mesmo com a estabilização da curva da doença do Espírito Santo, alguns cuidados são indispensáveis para não contrair e não espalhar o vírus.

Em entrevista ao repórter Cesar Fernandes, da TV Gazeta, através de uma live no Instagram, no último domingo (26), o médico cardiologista Henrique Bonaldi explicou os perigos e as precauções necessárias ao praticar exercícios fora de casa: na praia, na academia e nas áreas comuns do condomínios. 

USO DE MÁSCARA DURANTE AS ATIVIDADES

Antes de citar os exemplos, o médico alertou que, mesmo com a estabilização da curva, que permite o retorno de algumas atividades, esse não é momento de descuidar e comemorar, pois a tendência é que o índice mortos não diminua até a chegada de uma vacina. 

Por isso,  as atividades físicas precisam ser realizadas com o uso das máscaras, já que, durante os exercícios, o corpo humano provoca secreções como suor e saliva que podem causar a contaminação do vírus. A única exceção é o atleta que faz esporte de alto rendimento. Este terá que isolar-se ainda mais para praticar esportes.

"Quem faze esporte de alto rendimento, nos quais a frequência respiratória ventila muito rápido, a máscara  atrapalha muito o rendimento do esporte. Para fazer a atividade física, essa pessoa tem que sair de perto de todo mundo. Essas pessoas tem que treinar às 4h, às 23h, horários de pouco movimento, por exemplo, mas não pode frequentar locais (ainda que não aglomerados) que tenham gente", explicou. 

Henrique Bonaldi

Médico cardiologista

"Quem faz atividade física regular e não é de alto rendimento tem que usar máscara. Porque a saliva vai muito mais longe quando você está fazendo atividade física. Existe uma hipótese de que a saliva pode ir a um metro a mais para cada quilômetro por hora quando a pessoa corre.Tem que ter esse bom senso de usar máscara e se exercitar em locais menos aglomerados. Correr, pedalar, caminhar, todos esses exercícios devem ser feitos com máscara. Quanto mais usar máscara, melhor, mesmo em ambientes externos"
Homem correndo na praia de máscara
Quem faz atividade física regular, mesmo ao ar livre, tem que usar máscara. Crédito: Shutterstock

ESCADA DO PRÉDIO

Como alternativa para praticar atividades físicas mantendo o isolamento, muita gente começou a fazer exercícios na escada de emergência do prédio onde mora. Mas o que parece seguro, pode ter muitos riscos devido o local ser fechado e sem circulação de ar. 

"É preciso lembrar que o isolamento nos leva a pensar que ficar mais em casa é melhor, então fazer atividade física em casa é melhor. Mas qual o problema da escada do prédio? A escada, até por questão segurança ao fogo, é uma área muito fechada. Então existe perigo nesses ambientes, já que as partículas do vírus podem durar mais no ambiente fechado do que na praia, por exemplo. Nesse momento, o ideal é sair de casa para se exercitar, usar a máscara e sempre lembrar de ir nos locais e em horários menos aglomerados. A questão do horário é fundamental", orientou. 

REGRAS ESSENCIAIS PARA ACADEMIA

Além do bom senso em escolher o horário de menor aglomeração, o médico lembrou que é preciso desistir de entrar em determinado lugar se perceber que está muito movimentado. Se o ambiente for uma academia - seja de musculação, crossfit ou atividades físicas em geral, Bonaldi destaca quatro regras fundamentais:

  1. Observar se o local está arejado, com portas e janelas abertas. O dono do estabelecimento precisa ter a responsabilidade de manter portas e janelas abertas para que o ambiente deixe de ser  fechado - o confinamento favorece à Covid-19;
  2. O uso correto da máscara, cobrindo o nariz e a boca, é fundamental durante as atividades;
  3. É necessário manter a distância de cerca de quatro metros de outras pessoas. Nunca use aparelhos que estejam muito próximos de outro aluno; 
  4. Todos devem carregar o próprio borrifador com álcool 70% e usar para limpar todos os aparelhos que encostar antes de serem usados;

Henrique Bonaldi

Médico cardiologista

"Nas academias, principalmente, você vai entrar em contato com o aparelho que outro indivíduo usou, tocou, com suor, expeliu saliva. Então, onde for apoiar e tocar, tem que borrifar álcool 70%. Algumas pessoas dizem que o álcool 98% é melhor porque tem mais álcool. A questão do 70% não é sobre concentração de álcool e, sim, sobre quanto tempo ele demora para evaporar, sendo mais eficiente para matar o vírus. Então tem que ser 70%"

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo Isolamento social

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.