ASSINE

"Decisão no sábado", diz secretário sobre reabertura do comércio no ES

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, o governador Renato Casagrande tem dialogado com todas as partes antes de uma tomada de decisão, que será pautada “no melhor para o Estado”

Publicado em 30/04/2020 às 10h34
Atualizado em 30/04/2020 às 11h01
Vitória - ES - Coronavírus - Comércio fechado na avenida Jerônimo Monteiro, Centro.
Comércio fechado na avenida Jerônimo Monteiro, Centro. Crédito: Vitor Jubini

Diante da discussão sobre a reabertura do comércio na Grande Vitória e o constante crescimento do número de casos e mortes confirmadas pelo novo coronavírus, a definição final sobre a liberação de funcionamento, ou não, das lojas será feita no próximo sábado (2). A informação foi passada pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo, da TV Gazeta, nesta quinta-feira (30). 

Segundo o secretário, o governador Renato Casagrande tem dialogado com todas as partes antes de uma tomada de decisão, que será pautada “no melhor para o Estado”.

“A decisão final será feita somente no sábado pelo governador, que tem dialogado com todos os atores: com cientistas, com estatísticos, com epidemiologistas, com a indústria, com o comércio, com todo mundo, para construir convicções muito sólidas que, de fato, possam representar a melhor decisão para o nosso Estado”, disse.

Secretário Estadual de Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista ao programa Bom dia ES, da TV Gazeta, nesta terça-feira (31)
Secretário Estadual de Saúde, Nésio Fernandes. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Nésio afirmou ainda que a decisão demanda uma série de condições que estão sendo analisadas. “Nós estamos em processo de amadurecimento e avaliação de, caso ocorra, como ela ocorreria [...] depende da ampliação de leitos, depende do comportamento da epidemia, depende da pactuação dos protocolos de como esses serviços irão abrir”, destacou.

"FALSA SENSAÇÃO DE ISOLAMENTO SOCIAL"

Em meio ao debate, Fernandes falou sobre uma “falsa polêmica” criada em torno da reabertura do comércio e a relação deste com o isolamento social. Segundo o secretário, o distanciamento é para que as pessoas evitem sair de casa e tenham contato físico com outra, mesmo com lojas e estabelecimentos abertos.

“O distanciamento social é que as pessoas evitem sair de casa, que elas de fato não tenham o contato físico com outras pessoas. E que, mesmo tendo a oportunidade de ir almoçar fora, de ir ao comércio, que as pessoas só saiam de casa se, de fato, for necessário. A palavra de ordem agora é disciplina social, é coesão social, é união do povo, de todo mundo, para entender que estamos em semanas muito críticas. Só que é uma falsa polêmica entender que somente o comércio representa o isolamento social. Todo o conjunto da sociedade precisa se mobilizar, ficar em casa e fazer esse isolamento. Se a gente entender que agora o isolamento social é simplesmente manter o comércio fechado, seria um reducionismo e uma falsa sensação de isolamento social. Nós precisamos que todo mundo colabore”, completou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.