ASSINE

Covid-19: Taxa de ocupação cresce e ES inicia ampliação de leitos

A estratégia vem em momento de alta na taxa de ocupação dos leitos de UTI no Espírito Santo

Rede Gazeta
Publicado em 26/11/2020 às 05h01
Leitos foram abertos em todas as regiões do Espírito Santo
Ampliação da rede de leitos para combate à Covid-19 envolve edital de contratação e obras na rede própria. Crédito: Governo do Estado/Divulgação

Secretaria da Saúde do Espírito Santo (Sesa) está ampliando a oferta de leitos de UTI para combate a Covid-19 no Estado. A estratégia vem em momento de alta na taxa de ocupação dos leitos de UTI no Estado. O Estado está com 86% das vagas nas unidades de Terapia Intensiva preenchidas com pacientes infectados. 

O indicador é mostrado no Painel Ocupação de Leitos Hospitalares, atualizado no final da manhã desta quarta-feira (25).

A Sesa afirmou, em nota à A Gazeta, que está com um edital aberto para ampliação dos leitos Covid para a rede SUS e renovação de contrato com os hospitais privados. A secretaria afirma que o chamamento visa a contratação de 130 leitos de UTI e 187 de enfermaria para combate ao novo coronavírus

Destes, 50 leitos de UTI e 185 de enfermaria já foram aderidos ao sistema de saúde. Na região Sul, mais oito leitos de UTI e 13 de enfermaria foram credenciados.

A Sesa ainda planeja entregar mais 160 leitos, frutos de obras na rede própria do Estado, até o final deste ano. Segundo a secretaria, estes leitos poderão ser usados por pacientes da Covid-19 em caso de subida da curva.

SITUAÇÃO ATUAL

Hoje, em todo o Estado, são 363 leitos de UTI para a Covid-19 ocupados por pacientes com quadros graves da doença, dentre os 422 disponíveis.  Oito hospitais no Estado estão com 100% dos leitos de UTI  ocupados: Hospital São Camilo (Aracruz), Santa Casa de Misericórdia (Cachoeiro),  Hospital Maternidade Silvio Ávidos (Colatina), Santa Casa de Misericórdia (Guaçuí), Hospital Estadual (São José do Calçado), Hospital Evangélico e Vila Velha Hospital (Vila Velha) e Santa Casa de Misericórdia (Vitória). 

Ao longo do mês de novembro, as altas nas taxas de ocupação dos leitos de UTI e os números absolutos de leitos ocupados subiram. Estes indicadores preocupam os especialistas e são motivo de alerta para a população.

O número de leitos disponíveis varia de acordo com a demanda por parte dos pacientes e das estratégias adotadas pela Sesa. O potencial máximo de leitos que o Espírito Santo poderia ter, em caso de necessidade, é de 715 vagas de UTI e 817 de enfermaria. 

Segundo o painel da Sesa, hoje o Estado tem 50,7% da capacidade potencial de leitos de UTI  e 42,8%  de enfermaria preenchidas. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.