ASSINE

Covid-19: pessoas com mais de 45 anos vão ser testadas na Grande Vitória

O exame será voltado a quem apresentar quadro febril e tiver comorbidades, tais como obesidade, hipertensão e diabetes

Publicado em 23/04/2020 às 22h01
Atualizado em 23/04/2020 às 22h01
Secretária de Estado da Saúde (Sesa)
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vai ampliar a realização de testes na população do Espírito Santo. Crédito: Ricardo Medeiros

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vai ampliar a abrangência dos testes para o novo coronavírus (Covid-19), e pessoas a partir dos 45 anos também passarão a ser examinadas. Para tanto, devem apresentar febre e comorbidades, tais como diabetes, hipertensão e obesidade. A previsão é de que o novo protocolo de testagem comece na próxima semana na Grande Vitória

Atualmente, os exames são realizados em pacientes graves e internados com sinais gripais (febre e problemas respiratórios); grávidas, profissionais da saúde e de segurança que têm sintomas de gripe, mesmo sem febre; e presos com quadro febril. A ampliação para quem tem a partir de 45 anos se deve ao perfil das notificações e internações em UTIs observado no Estado.

O secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes,  aponta que, dos pacientes em leitos de terapia intensiva, 84% têm acima de 45 anos.  A característica comum entre eles é a idade, febre e comorbidade. Também representam a maioria das notificações de síndrome gripal: dos sete mil registros no momento que foi feito o estudo, 5 mil estavam dentro dessa faixa etária. 

"Com essa medida, pretendemos garantir diagnóstico precoce visando a internação em tempo oportuno sem que o paciente esteja muito grave", ressalta.

Nésio Fernandes explica que, quando a Covid-19 não é diagnosticada cedo e há um agravamento do quadro, o risco é maior para o paciente. Ao passo que, se a doença é  logo identificada e observa-se a necessidade de internação, a pessoa poderá ser assistida em um leito de enfermaria, sem precisar de entubação e UTI. Essa estratégia também reduz a pressão sobre o sistema de saúde, uma vez que o Estado enfrenta dificuldades para a compra de novos respiradores, equipamentos indispensáveis para os leitos de terapia intensiva. 

UNIDADES DE SAÚDE

As pessoas que se encaixam no perfil definido pelo novo protocolo vão poder procurar uma unidade de saúde do município em que reside para fazer o teste. As que tiverem com os sintomas dentro do período de 4 a 7 dias, vão ser submetidas ao PCR - exame capaz de identificar o novo coronavírus no início da infecção. A partir do oitavo dia, já será possível fazer teste rápido. A Sesa vai distribuir os kits para os municípios.

Os locais ainda serão definidos pelos municípios, mas possivelmente o serviço será prestado em UPAs e PAs. A princípio, segundo Nésio Fernandes, a ampliação dos testes será para a Grande Vitória, mas a proposta também será levada aos secretários de Saúde do interior a fim de definir a expansão para todo o Estado. 

O secretário ressalta que a expansão somente está sendo possível porque o Laboratório Central (Lacen) tem condições para processamento dos testes. Atualmente, é analisada uma média de 400 amostras diárias, mas existe capacidade para até 1,2 mil. "Atingimos a meta de 2 mil testes por milhão de habitantes, enquanto a média nacional é de 260", finaliza. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.