ASSINE

Covid-19: na semana do Natal, taxa de transmissão no ES voltou a subir

O cálculo da taxa foi feito até o dia 25 de dezembro. No entanto, aumento ainda não reflete os efeitos das interações e aglomerações registradas nas festas de final de ano em vários municípios capixabas

Vitória
Publicado em 14/01/2021 às 02h02
Atualizado em 14/01/2021 às 14h21
Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020)
Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020). Crédito: IJSN/NIEE

O indicador que mostra o nível de contágio do novo coronavírus no Espírito Santo, chamado de taxa de transmissão (Rt), calculada até o dia de Natal, apresentou crescimento. Mas ainda é um aumento que não reflete os efeitos das interações e aglomerações registradas nas festas de final de ano em vários municípios capixabas.

A taxa passou de 0,78 para 0,84. Na prática, significa que cada 10 pessoas podiam contaminar outras oito. “Ela é um retrato do passado, sem os efeitos do que aconteceu no final de ano”, explica Pablo Lira, diretor de Integração e Projetos Especiais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

O ideal é que a Rt, o "ritmo de contágio", e que traduz o potencial de propagação de um vírus, se mantenha abaixo de 1. Acima de 1 significa que 100 indivíduos infectados podem passar a doença para outras 100 pessoas. Em abril de 2020, por exemplo, a taxa chegou a 3,44. Ou seja, 100 infectados eram capazes de transmitir o vírus para mais de trezentas pessoas.

O cálculo da taxa foi feito até o dia de Natal e há uma janela de 14 a 21 dias para se ter repercussão de determinados eventos nos indicadores epidemiológicos. Como explica Lira, os reflexos das aglomerações do final de 2020 vão começar a aparecer nas estatísticas a partir da segunda quinzena deste mês.

Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020)
Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020). Crédito: IJSN/NIEE

Na Grande Vitória a taxa de transmissão alcançou 0,82 (veja imagem acima). Não foi diferente no interior do Espírito Santo, que marcou 0,85 (veja abaixo).

Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020)
Taxa de transmissão (Rt) novo coronavírus (até 25/12/2020). Crédito: IJSN/NIEE

O CRESCIMENTO DAS MORTES

Nos primeiros doze dias de janeiro de 2021,  261 pessoas perderam a vida para a Covid-19. É quase o mesmo tanto de mortes registradas em todo o mês de outubro do ano passado, quando o indicador alcançou 294 perdas.

Se mantendo o mesmo ritmo, há uma probabilidade que o mês de janeiro supere os registros de mortes de novembro (464) ou até dezembro (788). “Podemos superar esta triste estatística, provavelmente”, assinala Lira.

E as próximas semanas ainda reservam outros momentos de preocupação. Um deles é com a realização do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) nos próximos dois finais de semana. E há ainda, no início de fevereiro, a vinda de mais um feriado, o Carnaval.

Lira observa que mesmo sem os tradicionais desfiles das escolas de samba e blocos nas ruas, o Carnaval é um período de atenção e monitoramento das taxas e indicadores. “Tem um potencial de aumento da interação social. Deveríamos estar em um momento de controle maior, mas sabemos que é preciso redobrar a atenção”, pondera.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.