ASSINE

Covid-19: 314 registros de irregularidades na vacinação estão sob investigação

As  denúncias foram recebidas pela Ouvidoria da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e ainda estão sendo apuradas; há casos de fura-filas do processo de imunização

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 14/04/2021 às 17h27
Atualizado em 14/04/2021 às 17h27
Vacinação drive-thru contra a covid-19 no Parque da Cidade, em Brasília
Vacinação contra a Covid-19. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Um total de 314 irregularidades no processo de vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo estão sendo investigadas pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Dentre elas, 131 referem-se a pessoas que teriam furado a fila do processo de imunização.

De acordo com o ouvidor da Sesa, Rafael Caliari, as investigações ainda não foram concluídas. Ao todo a Sesa recebeu 458 manifestações, com destaque para 140 denúncias e 174 reclamações, que somam as 314 queixas que estão sendo apuradas. O equivalente a 68,55% dos registros. “Das manifestações que chegaram, 78 são de responsabilidade da Sesa e 225 dos municípios", explicou.

Dentre as 140 denúncias, existem 128 que se referem aos fura-filas, pessoas que não teriam respeitado a ordem do processo de imunização. Dentre as 174 reclamações, há outras 3 que também tratam do desrespeito à fila de vacinação. 

Dentre os problemas que são alvo de reclamações está ainda o agendamento das vacinas nas cidades. Em quase todos os municípios que oferecem o serviço de forma on-line, tem sido frequente os problemas, com as vagas ofertadas sendo encerradas minutos após o processo em cada faixa etária ser iniciado.

AUDITORIA NA REDE DE FRIOS

Em pronunciamento na tarde desta quarta-feira (14), Edmar Camata, secretário de Estado de Controle e Transparência (Secont), informou que foi iniciada uma auditoria do controle do processo de vacinação. Destacou que, embora a aplicação da vacina seja feita pelos municípios, o controle interno pode e deve auxiliar os municípios nessa tarefa.

O trabalho será iniciado pela seguintes cidades: Colatina, São Mateus, Cachoeiro de Itapemirim e Vitória, onde haverá auditorias físicas e presenciais, especialmente onde estão localizadas as redes de frios. “Também teremos auditorias em outros municípios, levando em consideração o número de atendimentos, postos de vacinação, entre outros. Teremos nessa amostra os municípios de João Neiva, Ecoporanga, Vila Velha e Guaçuí", explicou.

VALIDADE DAS VACINAS

Outro destaque feito por Camata é sobre a data de validade das vacinas contra a Covid-19, que também será alvo da auditoria. O primeiro relatório dos trabalhos tem previsão para o dia 3 de maio. “Dois municípios, por exemplo, já foram notificados de que estavam com vacinas a vencer nos próximos dias. Não pode ter dose com validade expirada, é uma questão vital”.

As cidades que também receberam as vacinas e que, por motivo ainda desconhecido as estão mantendo em seus estoques, também vão ser notificadas. “Também vamos emitir alerta para municípios com estoque alto do imunizante", assinalou Camata.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.