ASSINE

Corpo de menino morto em incêndio na Praia do Canto é levado do DML

O pai da criança de 4 anos esteve no Departamento Médico Legal, em Vitória, na manhã desta terça-feira (20) para liberar o corpo do filho. Menino chegou a ser resgatado do apartamento onde o fogo começou, mas não resistiu

Publicado em 20/10/2020 às 10h44
Atualizado em 20/10/2020 às 18h17
Corpo de criança que morreu em incêndio na Praia do Canto é levado do DML
Corpo de criança que morreu em incêndio na Praia do Canto é levado do DML. Crédito: Ricardo Medeiros

Atualização: Esta matéria foi atualizada neste terça-feira (20), às 18h16, com informações mais detalhadas sobre a dinâmica do incêndio, após divulgação das análises do Corpo de Bombeiros.

Dentro de um pequeno caixão branco, o corpo do menino de 4 anos que morreu após um incêndio atingir um apartamento de um prédio no bairro Praia do Canto, em Vitória, foi levado por um carro de funerária na manhã desta terça-feira (20) do Departamento Médico Legal (DML). O pai da criança compareceu ao local para liberar o corpo do filho.

A morte do menino foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros por volta das 23h40 desta segunda-feira (19), mais de duas horas depois dele ter sido retirado do apartamento em chamas. A criança permaneceu na ambulância por todo esse tempo, recebendo o socorro e as tentativas de reanimação no local. O nome da criança não foi divulgado.

De acordo com os Bombeiros, as chamas teriam começado em um dos quartos do apartamento que fica no terceiro andar do Edifício Pintor Fanzeres, na Avenida Rio Branco. Seis pessoas estavam no local: duas crianças, a mãe, o pai, a avó e uma babá.

A criança mais velha, de 6 anos, estava na sala e foi socorrida pela babá, que conseguiu tirá-lo quando o fogo começou. A mais nova, porém, ficou no quarto e inalou muita fumaça. Os familiares não conseguiram socorrê-la, pois a residência já estava tomada pela fumaça.

O INCÊNDIO

Moradores do prédio afirmaram que o incêndio teve início por volta das 20h desta segunda-feira. Inicialmente, até a chegada dos Bombeiros, as chamas foram combatidas por vizinhos de outros prédios próximos. Uma moradora de um prédio vizinho informou que estava assistindo televisão quando começou a ouvir os gritos de "socorro" e "fogo". Ela abriu a janela para ver o que estava acontecendo e viu o fogo da janela do prédio logo em frente.

Por volta das 21h, o fogo já estava controlado. As equipes do Corpo de Bombeiros, porém, ainda estavam no apartamento à procura de possíveis vítimas. A Avenida Rio Branco, no sentido Reta da Penha, foi totalmente interditada em frente ao prédio. Equipes da Guarda Municipal também estiveram no local para auxiliar no controle do trânsito. O prédio foi interditado para a realização da perícia, que será concluída durante a madrugada desta terça-feira (20), segundo o Corpo de Bombeiros. 

DEFESA CIVIL DESINTERDITA PRÉDIO

Na manhã desta terça-feira, o prédio onde ocorreu o incêndio foi vistoriado pela Defesa Civil municipal e pouco antes das 10 horas o edifício foi desinterditado e os moradores puderam retornar às residências. Antes, ainda à noite e nas primeiras horas da manhã, alguns foram autorizados a entrar no prédio para buscarem roupas, medicamentos e objetos pessoais. 

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.