ASSINE

Criança morta em incêndio: "Ele tentou me abraçar", diz cabo dos Bombeiros

O cabo Rômulo, que resgatou o menino de 4 anos que morreu após o incêndio, relatou que a criança estava bastante enfraquecida e tentou se agarrar a ele quando o militar entrou no apartamento ainda com chamas

Publicado em 20/10/2020 às 09h33
Atualizado em 20/10/2020 às 09h33
Cabo Rômulo, do Corpo de Bombeiros
O cabo Rômulo, do Corpo de Bombeiros, foi quem fez o resgate da criança. Crédito: Daniel Pasti

Um menino de quatro anos morreu em decorrência do incêndio no apartamento onde ele estava, na Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, em Vitória, na noite desta segunda-feira (19). Antes de morrer, a criança foi socorrida pelo cabo Rômulo, do Corpo de Bombeiros, que não mediu esforços e arriscou a própria vida em meio às chamas ao notar que o garotinho estava vivo.

"Ele tentou me abraçar. Peguei ele e desci com ele no colo, realizando as manobras de RCP, até entregar para o Samu. Ele estava desfalecido, tentando reagir. Precisava descer o mais rápido possível com ele para tentar aproveitar cada momento que ele tivesse de ar", explicou o militar.

Segundo o cabo Rômulo, do Corpo de Bombeiros, que resgatou o menino do apartamento, uma equipe estava realizando a contenção das chamas quando recebeu a informação de que existia ainda uma criança no apartamento. Ele afirmou que, como tinha muita fumaça no local, foi guiado pela direção de onde um dos familiares saiu para encontrar a criança.

Criança resgatada em estado grave no incêndio na Praia do Canto ficou por mais de uma hora recebendo socorro em ambulância, no local
Criança resgatada em estado grave no incêndio na Praia do Canto ficou por mais de uma hora recebendo socorro em ambulância, no local. Crédito: Daniel Pasti

"Havia uma equipe fazendo a contenção das chamas e chegou a notícia de que tinha uma criança no quarto. Ao sair uma das vítimas, a avó, via a direção que ela saiu. Uma equipe fazia o combate às chamas em um cômodo e chamei um deles para ingressar comigo no outro, porque minha função seria buscar uma das vítimas", disse.

Além do menino que morreu, havia outras cinco pessoas no imóvel, sendo outra criança, a babá deles, a avó, o pai e a mãe, que também foram resgatados do incêndio.

O nome do garoto não foi divulgado. A morte foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros por volta das 23h40, mais de duas horas depois dele ter sido retirado do apartamento em chamas. A criança permaneceu na ambulância por todo esse tempo, recebendo o socorro e as tentativas de reanimação no local. As causas do incêndio ainda serão apuradas.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.