ASSINE

Ameaças a equipes de TV ilustram drama diário de moradores do ES

Vídeo em que homens armados expulsam a tiros um grupo de jornalistas na Serra escancara a rotina de terror a que estão submetidos milhares de capixabas, problema complexo cuja solução vai muito além das ações policiais

Publicado em 02/03/2021 às 14h01
Equipes de TV foram ameaçadas, ao vivo, por criminosos no bairro Planalto Serrano, na Serra
Equipes de TV foram ameaçadas, ao vivo, por criminosos no bairro Planalto Serrano, na Serra. Crédito: TV Gazeta/ Reprodução

Uma sequência de absurdos. Em um intervalo de poucas horas, o bairro Planalto Serrano, na Serra, dolorosamente ilustrou a tragédia diária a que estão submetidos milhares de moradores da Grande Vitória. Começou com um tiroteio na madrugada desta terça-feira (2), que levou à suspensão de rotas de ônibus na região. Culminou com a ameaça ostensiva de criminosos, flagradas ao vivo por câmeras de TV.

O vídeo em que homens armados expulsam a tiros um grupo de jornalistas, que incluía profissionais da TV Gazeta e da TV Tribuna, é apenas a ponta do iceberg. Mesmo breve, o flagrante escancara uma rotina de terror. Impedida de ir e vir pela violência, a população também se vê refém da interrupção de serviços públicos essenciais. Nesta terça foi o transporte, mas poderia ter sido o posto de saúde ou a escola. A insegurança invade os quintais, como no triste exemplo de uma garotinha de 11 anos atingida nas costas por uma bala perdida na porta de casa no bairro Solar de Anchieta, no mesmo município.

A notícia de que o Espírito Santo registrou uma expressiva redução de homicídios em fevereiro, em relação ao mesmo mês do ano passado, é um fiapo de esperança no controle da criminalidade. Mas o fato é que o Estado precisa investir seriamente na redução dos índices de violência e alcançar o sucesso que demonstra em outras áreas. Na Educação, apesar de ainda longe do ideal, conquistou avanços importantes e liderou o Ideb no segmento do ensino médio. A situação fiscal capixaba é exemplo para o Brasil. Com boa gestão da pandemia, tem até mesmo recebido pacientes de outras regiões do país. Agora é hora de incluir a segurança pública na lista de bons resultados.

Bom nome à frente da Secretaria de Segurança Pública, frise-se, Alexandre Ramalho tem apelado reiteradamente por ajustes na legislação e por uma reestruturação educacional, de forma que o alto desempenho alcançado em alguns segmentos do ensino cheguem a todos os estudantes. É preciso que os demais poderes também ouçam o chamado do secretário, que também é o da população, para que a violência não seja vista apenas como um problema de ordem policial, o que está longe da realidade.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Segurança Pública Serra Sesp espírito santo planalto serrano serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.