ASSINE

"Não há espaço para esses atos no ES", diz Casagrande sobre ameaças em Planalto Serrano

Governador do ES afirmou, em postagem na rede social, que as forças de segurança já estão mobilizadas para identificar e punir os responsáveis

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 02/03/2021 às 12h02
Coletiva de imprensa com o Governador Renato Casagrande e os secretários, Nésio Fernandes, da Saúde e Rogelio Amorim, da Fazenda
O governador Renato Casagrande criticou a violência contra moradores e imprensa no bairro Planalto Serrano . Crédito: Fernando Madeira

O governador Renato Casagrande lamentou os episódios de violência ocorridos na manhã desta terça-feira (2), no bairro Planalto Serrano, na Serra. Após tiroteio durante a madrugada, ônibus pararam de circular na região e equipes de reportagem de TV chegaram a ser ameaçadas, entre elas a da TV Gazeta, que participava da exibição do Bom Dia Espírito Santo.

Em uma postagem na rede social, Casagrande afirmou que "não há espaço para esses atos no Espírito Santo", e disse que as forças segurança já estão mobilizadas para identificar e punir os responsáveis.

COMISSÃO DE SEGURANÇA DA ALES PROMETE FISCALIZAÇÃO

Por nota, o deputado Luiz Durão (PDT), presidente da Comissão de Segurança da  Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), classificou como "inadmissível o que aconteceu em Planalto Serrano". Durão afirmou ainda que a Ales cumprirá com rigor o seu poder fiscalizador em todas as ações que são feitas diariamente pelo Executivo para reduzir os crimes.

“É inadmissível o que aconteceu hoje em Planalto Serrano. Os bandidos que ameaçaram a equipe da TV Gazeta não se intimidaram porque têm certeza da impunidade, só que isso vai acabar. Não vamos tolerar mais essas afrontas! Há uma criminalidade juvenil que a Justiça não alcança, então infelizmente a polícia acaba enxugando gelo, mas conversei há pouco com o Cel Ramalho e ele me garantiu que está acontecendo uma saturação no local para identificar e prender os criminosos. A Comissão de Segurança já iniciou o mapeamento de todas as áreas de conflito no Espírito Santo e a Assembleia Legislativa cumprirá com rigor o seu poder fiscalizador, atuando de forma efetiva na fiscalização todas as ações que são feitas diariamente pelo Executivo para reduzir os crimes”, diz a nota.

SECRETÁRIO DIZ QUE POLÍCIA NÃO FOI ACIONADA

O secretário de Estado da Segurança Pública, Alexandre Ramalho, também lamentou o episódio, mas afirmou que a PM não foi acionada sobre o tiroteio que assustou moradores da comunidade durante a madrugada. 

"Nós não tivemos registros no 190 desses disparos que nos relatam na madrugada. A primeira chamada que recebemos foi de manhã. Essa questão de Planalto Serrano nós monitoramos com viaturas constantemente. Fizemos várias operações, com diversas apreensões de arma de fogo e prisões. Agora nunca negamos que, lamentavelmente, nós temos uma criminalidade ligada a uma baixa faixa etária com nenhuma educação, com nenhum encaminhamento para rede de ensino", apontou Ramalho.

"ESPERAMOS PUNIÇÃO", DEFENDE CONTARATO

O senador Fabiano Contarato (Rede) também se mostrou solidário à TV Gazeta e à TV Tribuna e disse que espera a punição dos culpados. "Basta de violência", pediu em postagem na rede social.

"HORROR E REVOLTA", DECLARA AMARO NETO

Já o deputado federal Amaro Neto (Republicanos), disse que o sentimento é de "horror e revolta". Para ele, que também é jornalista, o jornalismo precisa e aguarda "garantias para que o trabalho possa ser executado em segurança".

"Manifesto às equipes das TVs Gazeta e Tribuna o meu sentimento de horror e revolta diante da grave ameaça de bandidos a que foram submetidos na manhã de hoje (02), em Planalto Serrano, município de Serra. O trabalho da imprensa, para além do registro dos fatos, é fundamental para cobrar ações eficazes do poder público, diante de atitudes cada vez mais audaciosas dos criminosos. E foi no exercício da profissão que nossos colegas se viram em risco de vida, causando medo e preocupação a quem acompanhava tudo ao vivo. O jornalismo não irá se calar.  Precisamos e aguardamos garantias para que nosso trabalho possa ser executado em segurança.  Aos colegas Suzy Faria, Sérgio Porto, Diony Silva e Fernando Estevão nosso abraço e solidariedade", disse em nota.

PREFEITO DA SERRA AFIRMA QUE TOMARÁ AS MEDIDAS NECESSÁRIAS

A reportagem pediu uma entrevista com o prefeito da Serra, Sérgio Vidigal. No entanto, ele gravou um vídeo em que manifestou solidariedade aos profissionais da imprensa ameaçados, em que repudiou a ação dos suspeitos, e onde promete tomar as medidas necessárias para manter a tranquilidade dos moradores no bairro Planalto Serrano.

“Quero trazer minha solidariedade a todos os profissionais de diversos meios de comunicação do nosso Estado pela forma que ocorreu no bairro Planalto Serrano, trago também o nosso repúdio a esse modelo de manifestação. Lembrando também aos moradores, que sei que estão muito preocupados com isso, que estaremos tomando todas as medidas necessárias para manter a tranquilidade de cada morador do bairro Planalto Serrano, até porque os moradores de Planalto Serrano são pessoas de bem e precisam ser respeitadas por todos aqueles que atentam contra a ordem”, disse.

VEREADORES QUEREM AUMENTO DO EFETIVO DA GUARDA MUNICIPAL

A reportagem solicitou uma entrevista com o presidente da Câmara de Vereadores da Serra, Rodrigo Caldeira, para repercutir a situação em Planalto Serrano, mas ele se pronunciou por nota, dizendo que os vereadores estão pedindo ao prefeito um aumento no efetivo da Guarda Municipal. Ressalta que a Câmara está à disposição dos moradores por meio da Comissão Permanente de Segurança Pública e Defesa Social.

PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA

O presidente da Ales, deputado Erick Musso, também se manifestou sobre o caso. "Qualquer tipo de ameaça ou intimidação ao trabalho de equipes de reportagem em sua missão de informar a população deve ser combatida com veemência pelas autoridades estaduais constituídas. A Assembleia Legislativa, por meio de sua Comissão de Segurança, vai acompanhar atentamente o caso de Planalto Serrano e se coloca à disposição das forças de segurança pública do Estado para auxiliar, dentro de suas atribuições, no combate a violência em todo território capixaba", finaliza a nota.

O CASO

Equipes de reportagem da TV Gazeta e  da TV Tribuna foram ameaçadas ao vivo por criminosos armados no bairro Planalto Serrano, na Serra. Os repórteres foram ao local após reclamação de moradores que relataram que, após um tiroteio na madrugada desta terça-feira (02), os coletivos pararam de subir no bairro.

O problema afeta moradores dos lados B e C do bairro, que precisam descer até a entrada do bairro para conseguir pegar o coletivo. Imagens abaixo mostram ação dos criminosos. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Renato Casagrande Serra TV Gazeta planalto serrano serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.