> >
Honda CB 650R e CBR chegam com novas opções de cores e acabamentos

Honda CB 650R e CBR chegam com novas opções de cores e acabamentos

As versões para as linhas 2024 da naked e da esportiva da Honda estão chegando às concessionárias brasileiras

Publicado em 22 de novembro de 2023 às 17:27- Atualizado há 3 meses

Ícone - Tempo de Leitura 3min de leitura
Linha 2024 da Honda CB 650R e da CBR 650R 2024 chegam em dezembro com novas opções de cores e acabamentos
As Honda tetracilíndricas de 650 cc chegaram ao país em 2014 com a CB 650F e a CBR 650F. (Divulgação )

A Honda marcou o mundo da motocicleta com a primeira tetracilíndrica produzida em grande escala, a CB 750 Four, considerada a “mãe” de todas as superbike, apresentada no Salão de Tóquio de 1968. 

Desde então, nunca faltaram modelos no line-up da marca japonesa equipados com a arquitetura “in-line four”, com capacidades que variaram de 249 cc da CBR 250RR de 1990 a os 1.284 cc da CB 1300 Super Four, de 2007. As Honda tetracilíndricas de 650 cc chegaram ao país em 2014 com a CB 650F e a CBR 650F.

Linha 2024 da Honda CB 650R e da CBR 650R 2024 chegam em dezembro com novas opções de cores e acabamentos
A chegada da linha 2024 das CB 650R e CBR 650R na rede de concessionárias está prevista para dezembro. (Divulgação )

Em 2020, deram lugar para uma nova proposta. A naked CB 650R conciliava o design minimalista com elegância e agressividade, enquanto a CBR 650R trazia a identidade de superesportiva seguindo o conceito “Total Control” herdado da Fireblade. Desde lá, nada menos do que 25 mil motocicletas da família saíram das linhas de produção da fábrica da Honda em Manaus, no Amazonas.

Linha 2024 da Honda CB 650R e da CBR 650R 2024 chegam em dezembro com novas opções de cores e acabamentos
O modelo será oferecido na nova cor laranja perolizada, além da vermelho perolizada e cinza fosco. (Divulgação )

A tradição dos motores de quatro cilindros em linha está representada atualmente na naked CB 650R Neo Sports Café e na esportiva CBR 650R, que em nada se diferenciam dos mesmos modelos comercializados em outros mercados, como o norte-americano, o europeu ou o asiático. A chegada da linha 2024 das CB 650R e CBR 650R na rede de concessionárias está prevista para dezembro. 

A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem e com o Honda Assistance, que garante assistência vinte e quatro horas no Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai e na Bolívia. Os preços sugeridos são de R$ 52.590 para a CB 650R e de R$ 55.360 para a CBR 650R.

Linha 2024 da Honda CB 650R e da CBR 650R 2024 chegam em dezembro com novas opções de cores e acabamentos
Outro dispositivo dos dois modelos é o ESS – Emergency Stop Signal –, que ativa de modo automático as setas traseiras . (Divulgação )

Novas cores e acabamentos

Na versão 2024, as novas tetracilíndricas de 650 cc da Honda se caracterizam por novas cores e novos acabamentos. A naked CB 650R, fiel ao estilo Neo Sports Café introduzido pela CB 1000R, será oferecida na nova cor laranja perolizada, além da vermelho perolizada e cinza fosco. 

Outra novidade diz respeito à cor do motor, às rodas e à suspensão dianteira, todas em preto. O mesmo se dá com a esportiva CBR 650R, que terá a opção inédita branco perolizado, além do vermelho. Uma característica marcante dessas motocicletas é a atenção dada para a ergonomia.

Na CB 650R, a triangulação entre guidão plano, pedaleiras e assento bipartido determinam uma posição de pilotagem típica das naked, ideal para trechos urbanos ou estradinhas sinuosas, enquanto na CBR 650R os semi-guidões, mais baixos, assim como a presença da carenagem, direcionam a versão para um uso rodoviário e eventuais seções em pista nos “track-days”.

Linha 2024 da Honda CB 650R e da CBR 650R 2024 chegam em dezembro com novas opções de cores e acabamentos
Outra novidade diz respeito à cor do motor, às rodas e à suspensão dianteira, todas em preto. (Divulgação )

Motorização

O motor da CB 650 e da CBR 650R 2024 preservas as configurações habituais: tetracilindro DOHC arrefecido a líquido, câmbio de 6 marchas com embreagem assistida, deslizante e sistema HSTC – Honda Selectable Torque Control. 

A potência é de 88,4 cavalos a 11.500 rpm e o torque é de 6,13 kgfm a 8 mil rpm. A parte ciclística também não teve mudanças, com chassi tubular de aço tipo Diamond com suspensão Showa SFF (Separated Function Fork) invertida na frente, enquanto na traseira a balança é vinculada ao conjunto mola-amortecedor regulável na pré-carga da mola em sete posições.

Os freios a disco dianteiros são do tipo flutuante, com sistema ABS de dois canais que atua nos cálipers de quatro pistões de fixação radial. O freio a disco traseiro tem cáliper de pinça simples. As rodas de liga leve são calçadas com pneus 120/70-ZR17 na frente e 180/55-ZR17 atrás.

Nas duas motos, a iluminação é full-led, com painel digital tipo blackout com variedade de informações e destaque para a “shift-light” configurável, que avisa o momento adequado para troca de marcha. Outro dispositivo dos dois modelos é o ESS – Emergency Stop Signal –, que ativa de modo automático as setas traseiras em caso de frenagem brusca.

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

Tags:

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais