ASSINE

Veja como vão votar os deputados do ES em veto sobre reajuste para servidores

Senado derrubou veto de Jair Bolsonaro, que suspende aumento para todas categorias do serviço público até dezembro de 2021. Se a Câmara adotar a mesma medida, algumas categorias escapam do congelamento de salário

Publicado em 20/08/2020 às 13h52
Atualizado em 20/08/2020 às 18h12
Plenário da Câmara dos Deputados vazio durante a pandemia
Plenário da Câmara dos Deputados vazio durante a pandemia. Crédito: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Câmara dos Deputados vai analisar, nesta quinta-feira (20), veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a trechos da lei de socorro financeiro aos Estados e municípios. Na sanção presidencial, foi retirada da proposta a possibilidade de reajuste a algumas categorias de servidores públicos, que os congressistas defendiam que ficassem de fora do congelamento de salários até dezembro de 2021. Nesta quarta-feira (19), contudo, o Senado derrubou o veto e liberou o aumento. Agora, os deputados federais decidirão sobre o tema. 

Consultados por A Gazeta, oito dos 10 deputados federais capixabas se posicionaram sobre a votação marcada para esta tarde. Três são a favor da manutenção do veto do presidente, quatro são contrários e um ainda não decidiu como vai se posicionar.

 Lauriete (PSC) chegou a afirmar à reportagem que votaria a favor da manutenção do veto, mas, depois, disse que ouviu setores da sociedade civil e resolveu votar pela derrubada. Caso o veto seja mantido, a concessão de reajustes salariais a qualquer categoria do serviço público fica proibida até dezembro de 2021. 

Por outro lado, se a Câmara seguir a decisão do Senado e derrubar o veto do presidente, as categorias do serviço público das áreas de segurança, saúde, limpeza, serviços funerários, assistência social, que atuam no combate à Covid-19, além de agentes socioeducativos e professores podem receber reajuste salarial durante o período.

Segundo o líder do governo no Congresso, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), a derrubada do veto pode ter um impacto negativo de cerca de R$ 130 bilhões aos cofres públicos.

A suspensão de reajustes e a contagem do período como tempo aquisitivo para a concessão de vantagens foram algumas das exigências do governo federal para disponibilizar R$ 120 bilhões da União para Estados e municípios, que enfrentam queda na arrecadação devido à pandemia do novo coronavírus. 

  1. A Gazeta - tt9ynooa
    01

    Soraya Manato (PSL) - a favor da manutenção do veto

    "Penso que aprovar esse reajuste aos servidores públicos neste momento é uma irresponsabilidade com a economia brasileira. Os gastos do Brasil com a pandemia já foram mais R$ 505 bilhões, ou seja, 7,3% do nosso PIB. Embora eu seja a favor que os servidores tenham aumento salarial, também penso que este não seria o momento para esse repasse, pois esse aumento nos gastos públicos, em plena crise sanitária e econômica do nosso país, vai trazer impactos desastrosos para a nossa economia."

  2. A Gazeta - ps0vb4267
    02

    Da Vitória (Cidadania) - a favor da derrubada do veto

    "Avalio que os profissionais que estão na linha de frente do combate à Covid-19, como são os profissionais da saúde e da segurança pública, que não podem parar suas atividades e que estão arriscando suas vidas na linha de frente, não deve ter congelado o direito de receber os reajustes e vantagens já previstas. É bom ressaltar que o dispositivo não determina que seja dado aumento de salário. Ele autoriza que os direitos já previstos sejam concedidos conforme previsão legal."

  3. A Gazeta - p9o378t
    03

    Lauriete (PSC) - a favor da derrubada do veto

    Inicialmente, a deputada defendia a manutenção do veto, por considerar que "com a pandemia, agravou-se a crise econômica e afetou todos os segmentos com aumento de falências e desemprego". Já pouco antes da votação ela mudou seu posicionamento e informou que votaria para derrubar o veto. "Entendo como justo conceder autonomia aos Estados para a concessão de reajuste, dentro das possibilidades, a servidores públicos que estão na linha de frente de combate à Covid-19, correndo risco de vida. Assim, ouvindo vários setores organizados da sociedade civil, estou decidida a votar contra o veto."

  4. A Gazeta - xj7iei
    04

    Helder Salomão (PT) - a favor da derrubada do veto

    "Vou votar pela derrubada do veto porque é um absurdo impedir reajuste de servidores durante a pandemia. Defendemos que o governo envie para o Congresso proposta para taxar as grandes fortunas, grandes heranças e projeto para criar imposto sobre lucro líquido dos bancos. É inadmissível prejudicar o serviço público."

  5. A Gazeta - j22ql5a
    05

    Felipe Rigoni (PSB) - a favor da manutenção do veto

    "Foi uma grande pena que o Senado derrubou esse veto. Não é uma questão do mérito individual das pessoas que estão atuando na Covid-19. É uma questão de incapacidade coletiva do Estado brasileiro de dar esses aumentos. Ao longo dos últimos anos, as despesas obrigatórias vêm aumentando vertiginosamente. Se não conseguirmos fazer em um ano e meio esse congelamento, que vai abrir um espaço fiscal, não teremos dinheiro para pagar política pública, em especial nos Estados."

  6. A Gazeta - paiu1tx544l
    06

    Norma Ayub (DEM) - a favor da derrubada do veto

    "Sou a favor da derrubada do veto, porque acredito que as categorias têm a necessidade de serem valorizadas pelo trabalho durante a pandemia. Esses profissionais não podem ser prejudicados."

  7. A Gazeta - cjphesgv
    07

    Ted Conti (PSB) - ainda não decidiu

    "A bancada do PSB está analisando o tema, mas ainda não há um posicionamento. Acreditamos ser importante que os trabalhadores tenham direito a reajustes, mas precisamos medir todos os impactos econômicos da medida antes de tomarmos uma decisão."

  8. A Gazeta - wk21lv1a
    08

    Evair de Melo (PP) - a favor da manutenção do veto

    Um dos vice-líderes do governo Bolsonaro, o parlamentar respondeu que está "100% pela manutenção do veto e está trabalhando no Congresso para ganhar votos para o governo federal".

  9. A Gazeta - jj6mdzs09q
    09

    Sergio Vidigal (PDT)

    Ainda não respondeu.

  10. A Gazeta - knf4x2s
    10

    Amaro Neto (Republicanos)

    Ainda não respondeu.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.