ASSINE

Prefeitos eleitos na Grande Vitória vão amargar orçamento menor em 2021

Com exceção de Vila Velha, três das quatro principais cidades da Grande Vitória terão orçamentos mais enxutos. Em Vitória, vereadores mudaram texto a pedido de Pazolini

Vitória
Publicado em 17/12/2020 às 18h16
Prefeituras da Grande Vitória
Prefeituras da Grande Vitória: Serra terá 6,5% a menos do que foi orçado para 2020. Crédito: Reprodução

Na reta final do mandato dos vereadores, duas das quatro principais cidades da Grande Vitória ainda não votaram a Lei Orçamentária Anual para 2021. Apenas Cariacica e Vitória já tiveram as propostas aprovadas no Legislativo e aguardam sanção dos prefeitos. Cariacica e Serra terão menos recursos para gastar no próximo ano, enquanto Vitória elaborou um orçamento ligeiramente maior, mas considerando a inflação de 4,31% dos últimos 12 meses também há recuo. Somente Vila Velha aumentou a projeção de despesas para o próximo ano, já acima da inflação.

Na cidade canela-verde, o prefeito Max Filho (PSDB) enviou para a Câmara um orçamento de R$ 1,296 bilhão para a prefeitura gastar no próximo ano. A proposta está na Comissão de Finanças da Casa. O presidente da comissão e relator do projeto, Heliosandro Mattos (PDT), enviou a peça orçamentária para o prefeito eleito – e também vereador – Arnaldinho Borgo (Podemos), que analisa se vai propor mudanças na proposta de Max.

"É de bom tom que o prefeito eleito saiba o que tá sendo proposto e que informe à Câmara se gostaria de pedir mudanças. O projeto está com a equipe de transição dele. Assim que voltar para a Casa, a gente coloca em pauta na comissão e leva para o plenário", conta Heliosandro.

Mesmo com a previsão de queda na arrecadação com a pandemia, o orçamento de Vila Velha para 2021 é R$ 134 milhões maior do que o aprovado em 2019 para o ano de 2020. Um aumento nominal (sem descontar a inflação) de 11,5%.

PAZOLINI PEDE MUDANÇA E CÂMARA APROVA

Outra cidade que aumentou a previsão de despesas para o ano que vem é Vitória, de acordo com a proposta enviada à Câmara da Capital. Luciano Rezende (Cidadania) projetou um orçamento de R$ 2 bilhões, R$ 20 milhões a mais do que orçamento em vigor neste ano. O montante, contudo, representa pouco mais de 1% de aumento, abaixo da inflação de 4,31% nos últimos 12 meses. Essa será a quantia que o prefeito eleito Lorenzo Pazolini (Republicanos) terá para seu primeiro ano de governo.

O orçamento de Vitória foi aprovado nesta quinta-feira (17). O relator, Luís Paulo Amorim (PV), não propôs mudanças. 

No entanto, o vereador Mazinho dos Anjos (PSD) incluiu uma emenda a pedido da equipe de transição de Pazolini, aumentando o valor do orçamento que seria destinado à reserva de contingência (uma espécie de poupança para emergências) da prefeitura.

O orçamento original, enviado por Luciano, previa R$ 6 milhões para serem guardados nos cofres do município, mas Pazolini pediu que esse valor fosse aumentado para R$ 11 milhões, realocando recursos que estavam na Secretaria de Gestão, Planejamento e Comunicação (R$ 1,9 milhão), na Companhia de Desenvolvimento de Vitória (R$ 281,7 mil) e na Secretaria da Fazenda (R$ 1,7 milhão). E assim foi aprovado pelo plenário.

Apenas o vereador Roberto Martins (Rede) votou contra, segundo ele, devido ao texto não contemplar o pagamento do piso salarial aos professores da rede municipal.

CARIACICA E SERRA VÃO GASTAR MENOS EM 2021

Quem apertou mesmo os cintos para o próximo ano foram os atuais prefeitos da Serra e de Cariacica. Proporcionalmente, a maior redução é na Serra, onde o prefeito Audifax Barcelos (Rede) mandou à Câmara um orçamento 6,5% menor em comparação com 2020, uma diferença de R$ 96 milhões. A proposta atual, já aprovada na Comissão de Finanças, é de R$ 1,378 bilhão. O projeto está previsto para ir ao plenário na segunda-feira (21).

Já Cariacica teve seu orçamento aprovado no último dia 10 de dezembro. A proposta para 2021 é de R$ 859,935 milhões. A cidade é a que tem menor previsão de gastos para o próximo ano. A queda, comparada ao orçamento de 2020, é de 3,5%.

Em 2019, a Câmara aprovou que o atual prefeito gastasse R$ 892,609 milhões. O prefeito eleito, Euclério Sampaio (DEM), terá R$ 32,674 milhões a menos em relação ao valor com o qual seu antecessor contou em 2020.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.