ASSINE

Em semana pré-carnaval, sessão na Assembleia cai em 12 minutos

Oposição sustenta que governador orientou que sessão fosse esvaziada para evitar críticas após ataques a avenidas de Vitória na última sexta-feira

Publicado em 17/02/2020 às 20h24
Atualizado em 18/02/2020 às 07h51
Plenário da Assembleia Legislativa: sessão desta segunda contou com apenas oito parlamentares presentes. Crédito: Tati Beling/Ales
Plenário da Assembleia Legislativa: sessão desta segunda contou com apenas oito parlamentares presentes. Crédito: Tati Beling/Ales

A poucos dias do carnaval, a sessão desta segunda-feira (17) na Assembleia Legislativa do Espírito Santo durou apenas 12 minutos. Por falta de quórum, o deputado estadual Marcelo Santos (PDT), que presidia a Mesa Diretora, encerrou as atividades em plenário. Oposicionistas acusam o governador Renato Casagrande (PSB) de ter agido para esvaziar a sessão.

Os trabalhos chegaram a ser iniciados, com a presença de 16 parlamentares. Na ordem do dia estava a análise de um veto do governador a um projeto do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), sobre a obrigação de supermercados, padarias e atacadistas serem obrigados a disponibilizar funcionários e balanças para os consumidores. Fabrício Gandini, presidente da Comissão de Justiça, pediu vista do veto, o que acabou trancando a pauta da Assembleia. Em seguida Euclério Sampaio (sem partido) solicitou verificação de quórum e, com apenas oito deputados em plenário, a sessão foi encerrada.

Lorenzo Pazolini (sem partido) é um dos que endossam a versão de que o governador agiu para derrubar a sessão. Segundo ele, a tarde seria de críticas contra o governador por conta dos ataques de vandalismo praticados na última sexta-feira (14), após a morte de um jovem no bairro do Bonfim, em Vitória. O próprio deputado, que estava em um carro da Assembleia, chegou a sofrer com ataques na avenida Marechal Campos naquela manhã.

"É lamentável que o governador fuja do debate da segurança pública. A sociedade que vivenciou o que aconteceu na sexta-feira (14), com as vias da capital sendo interditadas por criminosos, lamenta que esse tipo de manobra seja adotada. Não é nem questão de fugir das críticas, mas de não querer debater. Foi uma maneira sórdida de suprimir a fala dos deputados. O governo deveria ter um planejamento maior para ter respostas mais rápidas para evitar que eventos como o de sexta-feira possam acontecer", afirmou o deputado.

Aliados do governador, reservadamente, confirmam que o movimento foi deliberado. "Se a pauta está trancada em função do veto, o equilíbrio e o bom senso precisam superar a guerra", disse um parlamentar da base.

35 SEGUNDOS PARA REGISTRAR PRESENÇA

Foram exatos 35 segundos entre o pedido de revisão de quórum de Euclério e o encerramento da sessão, decretado por Marcelo Santos. Muitos parlamentares alegaram que estavam em salas em anexo ao Plenário, mas quando chegaram no local, se depararam com a sessão já no fim.

"Estava um pouquinho atrasado e até agora não entendi o que aconteceu. Cheguei no plenário já finalizando a sessão e não consegui registrar a presença", contou Theodorico Ferraço (DEM). Outros que fizeram a mesma reclamação foram Hudson Leal (Republicanos), José Esmeraldo (MDB) e Alexandre Xambinho (Rede). Já Rafael Favatto (Patriota) disse que o aparelho que ele usava para registrar presença falhou e demorou a fazer a marcação. 

O presidente da Casa, Erick Musso (Republicanos), estava em Belo Horizonte, assim como o deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL), em uma reunião entre os governadores do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), e de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

Euclério Sampaio: deputado pediu a recomposição de quórum. Crédito: Tati Belling | Ales
Euclério Sampaio: deputado pediu a recomposição de quórum. Crédito: Tati Belling | Ales

PRESENTES, SÓ QUE NÃO

Alguns deputados que estavam em plenário também não deram presença após o pedido de verificação de quórum. O próprio Euclério Sampaio, que fez a solicitação, não marcou seu comparecimento no painel.

"Depois que pediram vista do veto, não tinha mais o que votar. Se não tem o que votar, eu não tinha mais o que ficar falando. Fiz o pedido e fui atender outras pessoas", justificou. Gandini, que faz parte da base aliada do governo, foi quem pediu vista do veto ao projeto de Enivaldo, travando a pauta. Ele também não registrou sua presença no painel.

Além dele, Hércules Silveira (MDB) e Dary Pagung (PSB), que haviam acabado de fazer declarações no plenário, também não aparecem entre os oito presentes na recontagem de quórum. Dary disse que havia deixado a sessão para atender vereadores de Mimoso do Sul em seu gabinete.

A reportagem tentou contato com o líder de governo na Assembleia, Eustáquio Freitas (PSB), e com a assessoria da Casa Civil, mas não houve retorno até a publicação da matéria.

Veja quem estava presente e quem estava ausente durante a sessão desta segunda

Capitão Assumção (PSL) - presente

Carlos Von (Avante) - presente

Danilo Bahiense (PSL) - presente

Lorenzo Pazolini (PSL) - presente

Marcelo Santos (PDT) - presente

Renzo Vasconcellos (PP) - presente

Torino Marques (PSL) - presente

Vandinho Leite (PSDB) - presente

Dary Pagung (PSB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Doutor Hércules (MDB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Euclério Sampaio (sem partido) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Enivaldo dos Anjos (PSD) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

José Esmeraldo (MDB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Emílio Mameri (PSDB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Freitas (PSB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Hudson Leal (Republicanos) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Luciano Machado (PV) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Sergio Majeski (PSB) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Marcos Garcia (PV) - presente no início, ausente após recomposição de quórum

Iriny Lopes (PT) - ausente

Theodorico Ferraço (DEM) - ausente

Adilson Espindula (PTB) - ausente

Alexandre Xambinho (Rede) - ausente

Alexandre Quintino (PSL) - ausente

Rafael Favato (Patriota) - ausente

Erick Musso (Republicanos) - ausente

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.