ASSINE

Em discurso, Casagrande brinca sobre Guedes e pede diálogo com opositores

Durante o encontro estadual do PSB, governador brincou com a fala do ministro e também  demonstrou  preocupação com a forma com que desenha as próximas eleições

Publicado em 15/02/2020 às 21h44
Atualizado em 17/02/2020 às 11h34
Casagrande discursou para correligionários na convenção anual do PSB. Crédito: Hélio Filho/Secom
Casagrande discursou para correligionários na convenção anual do PSB. Crédito: Hélio Filho/Secom

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), fez um discurso firme e pediu mais diálogo com opositores aos partidários do PSB nas próximas eleições, durante o encontro estadual do partido realizado em um cerimonial, na Serra, na manhã deste sábado (15). O deputado estadual Sergio Majeski e o vereador da Serra Cabo Porto  não compareceram. 

Durante o discurso, o chefe do Executivo estadual também brincou com a repercussão das declarações recentes do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a cidade de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado.  Ao comentar sobre as chuvas que castigaram as cidades do Sul capixaba, Casagrande disse que Cachoeiro não era mais a capital secreta do mundo após o ministro indicar o município como local a ser visitado por ser a cidade onde Roberto Carlos nasceu.

"Vocês viram que esses dias que passamos por momentos de dificuldades aqui no Estado e passamos ainda. Momentos que exigem um equilíbrio muito grande para podermos seguir. Tivemos chuvas torrenciais lá em Vargem Alta, Iconha. Nesses locais choveu mais de 250 milímetros em menos de cinco horas. Em Cachoeiro não foi muito diferente. Nunca tínhamos visto uma quantidade de água tão grande como essa chegar na capital secreta, agora não mais secreta por causa do Paulo Guedes", disse Casagrande, arrancando risadas dos presentes. 

CASAGRANDE: MAIS DIÁLOGO E ENFRENTAMENTO PARA 2022

O momento de descontração foi o único do discurso do governador. Durante o evento do sábado (15), Casagrande demonstrou preocupação com a forma com que se desenham as próximas eleições. Ele pediu que os membros do PSB mantenham a posição política histórica do PSB, mas que ampliem o diálogo com opositores, visando uma participação mais efetiva no pleito. 

"Tenho pregado que a eleição de 2022 deve ser uma em que o PSB mantenha sua posição de centro-esquerda, mas o partido precisa alargar suas relações políticas, porque senão assistiremos dois polos disputando o poder no Brasil e ficaremos fora. Temos que ter capacidade de relacionamento mais amplo, é preciso saber conviver com outras forças. Precisamos ampliar a nossa ação, não apenas partidária, mas dentro da sociedade. E, mais do que nunca, temos que expressar nossa opinião. Ninguém vai se eleger se escondendo do debate", discursou. 

Casagrande também demonstrou preocupação com a propagação de boatos no âmbito político e também na sociedade. Na visão dele, eles trazem malefícios e devem ser combatidos pelos candidatos do partido nas respectivas campanhas.

"Ontem (sexta-feira) passamos um dia tumultuado em Vitória. As fake news dizendo que haveria outra ação dos bandidos, com informações de toque de recolher em tal bairro. Grupos criminosos também usam fake news. Adversários (políticos) também usam para criar o terror e gerar instabilidade. É muito importante que se tenha um projeto e o defenda. Precisamos nos expor nesse sentido. Nós, que temos uma posição mais equilibrada, não podemos nos omitir. Tenham posição e a defendam", cobrou.

Casagrande citou ser preciso enfrentar o crescente discurso de ódio a minorias e classes sociais. "Vemos muitas pessoas pregando destruir o meio ambiente, discriminar as mulheres e quem tenha outra orientação sexual. O projeto de vida do Partido Socialista Brasileiro tem a ver com a melhoria da vida das pessoas, dar oportunidade, respeitar as diferenças. Temos de fazer valer isso", pediu. 

PARTIDO TERÁ 40 PRÉ-CANDIDATOS A PREFEITO

O evento também contou com o lançamento de pré-candidaturas do PSB a prefeituras no Estado. Na Grande Vitória, o secretário estadual de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento, Bruno Lamas (PSB), foi lançado para disputar o cargo de prefeito na Serra. De acordo com o presidente estadual do PSB, Alberto Gavini, ao todo foram cerca de 40 pré-candidaturas a prefeito anunciadas pela legenda. Outros nomes para a  Região Metropolitana são o deputado federal Ted Conti (PSB), disputando em Vila Velha; o ex-vereador de Cariacica Saulo Andreon (PSB), em Cariacica; e o subsecretário estadual de Turismo, Gedson Merízio, em Guarapari. 

PSB DE VITÓRIA DEFINE CANDIDATO A PREFEITO NESTA SEGUNDA

Na Capital, o partido decide nesta segunda-feira (17) quem será o nome para disputar a Prefeitura de Vitória. A sigla fará uma prévia interna para decidir se lançam o atual vice-prefeito Sérgio Sá (PSB) ou o deputado estadual Sergio Majeski (PSB). 

A prévia do PSB de Vitória está marcada para as 19h30 na Câmara Municipal. Cada pretendente à vaga terá 20 minutos para defender sua candidatura. Em seguida, a votação ocorre de maneira aberta, onde os votantes erguem seus crachás para eleger seu candidato. "Não é uma disputa, é uma escolha. Um processo normal que já aconteceu em 2004, em Colatina, quando o partido escolheu entre o Paulo Foletto (atual secretário de Agricultura) e o Tadeu Marino (atual subsecretário de Saúde)", afirmou o presidente do diretório municipal do PSB, Juarez Gonçalves.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.