ASSINE

Câmara de Vila Velha deve ter consenso por candidato "abençoado" por Ivan Carlini

Bruno Lorenzutti (Podemos) é cotado para assumir a presidência em 2021. Ele afirma que não representa a continuação do comando do atual presidente, Ivan Carlini (DEM), que após anos à frente da Casa, deixa o Legislativo

Publicado em 16/12/2020 às 04h30
Vereador Bruno Lorenzutti (Podemos), à direita, na Câmara de Vila Velha, debate projeto com Arnaldinho Borgo (Podemos), que foi eleito prefeito
Vereador Bruno Lorenzutti (Podemos), à direita, na Câmara de Vila Velha, debate projeto com Arnaldinho Borgo (Podemos), que foi eleito prefeito. Crédito: Assessoria Câmara de Vila Velha

Após exercer seis vezes consecutivas a presidência da Câmara Municipal de Vila Velha, o vereador Ivan Carlini (DEM), que não foi reeleito este ano, deixa o comando da Casa. O mais cotado para ocupar a cadeira é o vereador reeleito Bruno Lorenzutti (Podemos), que deve ser eleito em chapa única, por consenso entre os parlamentares em 1º de janeiro. 

Mas a renovação na presidência não representa, necessariamente, uma mudança no grupo político à frente do Legislativo. Ivan Carlini não lançou um sucessor, mas a candidatura de Bruno Lorenzutti é "abençoada" por ele.

"É um excelente vereador, tem contribuído muito comigo, vai ser um bom presidente. Tem minha bênção", brincou Carlini. 

O vereador de Cobilândia ficou marcado por ter se aliado a todos os prefeitos que comandaram o município nos últimos anos, inclusive com troca de partidos, e portanto, não ter fortalecido uma oposição ao Executivo. Esse é um ponto em comum com Lorenzutti, já que o vereador é um grande aliado do prefeito eleito, Arnaldinho Borgo (Podemos).

Lorenzutti descarta alianças com o atual presidente da Casa. "Não sou o candidato da continuação", frisou, contestando qualquer possibilidade de ser visto como um sucessor de Ivan Carlini.

"Nós temos um bom relacionamento, assim como tenho com outros vereadores. Eu não o procurei para pedir apoio, até porque ele não fará parte da Câmara no ano que vem. Mas minha postura é de independência", declarou.

CONSENSO ENTRE OS VEREADORES

Vereador em segundo mandato, Bruno Lorenzutti foi o segundo parlamentar mais votado este ano em Vila Velha. É economista e tem especialidade na área de gestão. Antes das eleições, o cenário na Casa já sinalizava que ele poderia colocar o nome na disputa pela presidência.

Vereador Bruno Lorenzutti (Podemos)
Vereador Bruno Lorenzutti (Podemos) é vereador de Vila Velha. Crédito: Reprodução/Facebook

"O Ivan deu espaço para que ele crescesse ali dentro e ele foi construindo uma boa relação com todo mundo", declarou um parlamentar. Mas as articulações foram começar mesmo logo após o resultado do pleito deste ano.

Com Ivan Carlini fora do páreo e a eleição de 12 novos vereadores - apenas cinco se reelegeram-, Lorenzutti passou a ir em busca de votos. Conseguiu agregar um número grande de apoiadores e consolidar sua candidatura.

"O trabalho dele está bem adiantado, acredito que não terá problemas. É um vereador visto com bons olhos, e é ligado ao atual prefeito", afirmou um parlamentar eleito, que assume mandato em 2021.

CANDIDATURAS QUE NÃO FORAM PARA FRENTE

O atual presidente da Casa, Ivan Carlini, até cogitou lançar Rogério Cardoso (DEM) para ocupar o cargo, seu aliado de primeira linha na Câmara. Mas as conversas já estavam bem adiantadas para o lado de Bruno Lorenzutti, que também tem o apoio de Cardoso, reeleito vereador mais votado na cidade.

"Eu estou em meu quinto mandato, poderia até pleitear a vaga, mas acho importante o consenso, a pacificação. Não podemos brigar", disse Cardoso, afirmando que apoia a candidatura do vereador do Podemos. "Nós compomos com Bruno", frisou.

Outro  que sinalizou que poderia disputar a presidência é Jonimar (PSC), que já esteve na Câmara em outros mandatos e voltará em 2021. Apesar do interesse inicial do vereador eleito, ele teve dificuldades na articulação de aliados e decidiu não ser candidato. "Conversei com o Bruno e pretendo apoiá-lo", garantiu.

AMIGO DO PREFEITO

Lorenzutti é, se não o maior, um dos maiores aliados do prefeito eleito Arnaldinho Borgo (Podemos) na Casa. Além de ser presidente municipal do partido, ele é amigo pessoal do prefeito e esteve com ele em todos os momentos da campanha. Os dois exerceram o atual mandato juntos. 

Ter um parceiro ocupando essa função estratégica no Legislativo é uma grande vantagem para Arnaldinho, afinal, é o presidente da  Câmara quem define a pauta de votação no plenário. 

O prefeito eleito, inclusive, não deve ter grandes dificuldades com tramitação de projetos da prefeitura nessa nova composição da Câmara de Vila Velha. A maioria dos 17 vereadores eleitos apoiou a candidatura dele no segundo turno, com direito a presença no palanque de Arnaldinho no dia do resultado. 

DISPUTA DE CARGOS

A eleição para a Mesa Diretora da Câmara de Vila Velha ocorre no dia 1º de janeiro, logo após a posse dos vereadores eleitos. Na ocasião, além do presidente, serão eleitos o 1º e 2º vice-presidentes e o 1º, 2º e 3º secretários. O mandato é de dois anos. 

Embora haja um consenso para a presidência, o mesmo não se pode dizer sobre os outros cargos. Com um grande número de novatos, muitos estão de olho em uma vaga e já se colocaram à disposição de Lorenzutti para a composição. Os nomes para os outros cargos ainda não foram definidos. 

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Arnaldinho Borgo Câmara de Vila Velha

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.