ASSINE

Vendedora desaparecida em Cachoeiro foi assassinada, diz família

Segundo irmão de Roseli Valiati Farias, de 47 anos,  um homem com quem a vendedora estava começando a se relacionar teria se entregado e levado a polícia ao local do crime nesta quarta (20)

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 20/10/2021 às 22h17
Roseli Valiati Farias, de 47 anos, está desaparecida
Roseli Valiati Farias, de 47 anos, estava desaparecida desde o último domingo (17). Crédito: Reprodução | Instagram

O corpo de Roseli Valiati Farias, de 47 anos, moradora de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, foi encontrado na noite desta quarta-feira (20), segundo familiares da vendedora. Ela estava desaparecida desde o final da tarde do último domingo (17), quando disse para a família que estava indo para um encontro com um homem. Ao repórter João Henrique Castro, da TV Gazeta, o irmão da vítima informou que o suspeito de tê-la assassinado, o comerciante Alexandre Nunes, teria se entregado e levado a polícia ao local do crime. 

Clodoaldo Valiati, irmão de Roseli, disse que por volta das 19h desta quarta-feira, a Polícia Civil entrou em contato com a família informando que o homem com quem ela estava começando a se relacionar teria confessado o crime e levado os policiais ao local onde escondeu o corpo da mulher.

"O homem confessou que matou e ia levar a polícia ao local, que ainda não sabemos qual foi. Ele era um ficante dela, que havia mentido nome e a ocupação dele. Ela estava iludida. Agora estamos aguardando a perícia. Minha irmã deixou um filho de 23 anos", contou. O irmão da vítima explicou ainda que o marido da vendedora morreu de Covid-19, recentemente.

Ele disse que a família agora está aguardando o corpo de Roseli, que será encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro.

CORPO FOI ENCONTRADO PERTO DA DIVISA COM O RJ

Na manhã desta quinta-feira (21), a Polícia Civil afirmou que o suspeito de ter assassinado a mulher com um tiro foi preso nesta quarta-feira (20). Segundo a corporação, no local indicado pelo indivíduo, em uma estrada vicinal na localidade de Marobá, em Presidente Kennedy, próximo a divisa do Espírito Santo com o Rio de Janeiro, foi encontrado um corpo humano em estado de putrefação, o qual foi removido para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim. 

Mais informações sobre o caso serão repassadas em entrevista coletiva nesta quinta-feira (21), na Delegacia Regional de Cachoeiro de Itapemirim.

RELEMBRE O CASO

Segundo o irmão Clodoaldo Valiati, Roseli Valiati Farias, de 47 anos, teria saído de casa no último domingo (17) dizendo que teria um encontro com um homem. O carro da vendedora foi localizado na segunda-feira (18).

Clodoaldo contou à reportagem, na segunda-feira, que o Toyota Corolla que pertencia a sua irmã foi encontrado trancado, no ponto conhecido como Trevo da Viação Itapemirim. “Ela saiu no domingo, por volta das 19h, após deixar um sobrinho na casa do pai, no bairro Clube do Bosque, próximo à casa dela. Disse que iria encontrar um homem, mas não disse aonde iria. Desde as 21h, o celular dá desligado”, contou o irmão, na ocasião.

O veículo de Roseli foi encontrado estacionado e fechado. Familiares acionaram um chaveiro e, dentro do veículo, encontraram um chinelo e a bolsa dela. Roseli Valiati Farias era vendedora em uma gráfica de Cachoeiro e, segundo o irmão, era alegre, saudável e não tinha inimizades com ninguém.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Assassinato Cachoeiro de Itapemirim crime desaparecidos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.