ASSINE

Um mês depois, polícia ainda procura suspeitos de matar criança em Linhares

A pequena Heloísa Dias Nascimento foi morta no dia 2 de dezembro.  A polícia acredita que a garota foi vítima da bala perdida e  ainda busca pelos autores do crime. Nenhum suspeito foi preso

Colatina
Publicado em 05/01/2021 às 14h03
Atualizado em 05/01/2021 às 14h03
Heloísa Dias Nascimento, a criança de 2 anos e 11 meses e que completaria 3 anos no próximo dia 4 de janeiro de 2021
Heloísa Dias Nascimento, a criança de 2 anos e 11 meses e que completaria 3 anos no próximo dia 4 de janeiro de 2021. Crédito: Redes Sociais

A pequena Heloísa Dias Nascimento, que foi morta no dia 2 de dezembro em Linhares, no Norte do Espírito Santo, completaria 3 anos nesta segunda-feira (4). Um mês depois do crime, nenhum suspeito foi preso e a polícia ainda busca pelos autores. A menina teve a vida interrompida violentamente quando foi baleada no portão da casa de uma vizinha – que também foi morta – na Rua José Carlos Langa, bairro Planalto.

De acordo com a Polícia Civil, os criminosos foram atrás de Sandra dos Santos Calixto, de 45 anos, que acabou sendo morta, e da filha dela, uma adolescente de 15 anos, que foi baleada e encaminhada com ferimentos para o hospital. A polícia acredita que a pequena Heloísa foi vítima da bala perdida. A polícia destacou que já identificou o mandante do crime e os dois autores e já fez buscas por eles, mas ainda não localizou os suspeitos. 

Ainda segundo a polícia, já existe um mandado de prisão contra o mandante do crime. A polícia explicou ainda que todos eles são envolvidos em outros crimes na cidade. 

A principal linha de investigação indica que o crime esteja relacionado ao tráfico de drogas. Para a polícia, o que reforça essa tese é o assassinato do comerciante Francisco de Assis dos Santos Calixto, marido de Sandra. Em junho de 2020, ele foi morto a tiros no mesmo bairro.

A polícia acredita que os crimes tenham relação. Ainda segundo a polícia, um dos suspeitos também é apontado como participante na morte de Francisco.

Sandra dos Santos Calixto foi morta cinco meses depois do marido Francisco Calixto
Sandra dos Santos Calixto foi morta cinco meses depois do marido Francisco Calixto. Crédito: Divulgação

O CRIME

Segundo a Polícia Militar, as vítimas estavam na calçada, quando dois homens encapuzados deixaram uma moto na esquina e foram a pé, cada um com uma arma, na direção delas, e atiraram várias vezes.

Os tiros assustaram os moradores do bairro. A pequena Heloísa era filha de uma vizinha e estava no portão com Sandra e a adolescente. A criança foi socorrida e encaminhada para o Hospital Geral de Linhares (HGL), mas não resistiu e morreu na unidade. A mulher e a filha foram levadas para o Hospital Rio Doce, onde Sandra morreu.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.