ASSINE

Marido de mulher assassinada em Linhares foi morto de junho

Bairro Planalto tem histórico recente de violência e criminosos em busca do controle do tráfico de drogas. Uma das vítimas recentes foi uma criança de apenas 2 anos

Linhares / Rede Gazeta
Publicado em 03/12/2020 às 16h10
Sandra dos Santos Calixto foi morta cinco meses depois do marido Francisco Calixto
Sandra dos Santos Calixto foi morta cinco meses depois do marido Francisco Calixto. Crédito: Divulgação

morte de uma menina de apenas 2 anos, vítima de bala perdida no bairro Planalto em Linhares, Norte do Espírito Santo, pode estar relacionada com outros assassinatos na região. Essa é uma avaliação da Polícia Civil e da Polícia Militar ao analisarem o contexto da disputa pelo controle do tráfico de drogas no local.

Além de pequena Heloísa Dias Nascimento, a dona de casa Sandra dos Santos Calixto, de 45 anos, também foi baleada e morta na noite desta quarta-feira (2). A filha de Sandra, uma adolescente de 15 anos, também levou tiros e está em um hospital da região.

Um fato curioso e destacado pela Polícia Civil é que no último mês de junho, o marido de Sandra, o comerciante Francisco de Assis do Santos Calixto, também foi morto a tiros na mesma rua onde aconteceu o crime desta quarta-feira (2). A suspeita é que o homem teria envolvimento com o tráfico de drogas no bairro.

No último domingo (30), o jovem Marcelo Henrique Cabral, de 22 anos, também foi morto no bairro Planalto e a polícia suspeita que ele tinha uma relação próxima com a família de Sandra. A morte de Marcelo também seria motivada pela guerra do tráfico de drogas no bairro.

"Não tem como entender e verificar que não há uma disputa pelo tráfico de drogas no local. Tivemos uma tragédia por causa dessa instabilidade", avaliou o delegado Tiago Cavalcante, responsável pela investigação do caso. 

A pequena Heloísa era vizinha de Sandra e da adolescente de 15 anos que foi baleada. Parentes afirmaram que era comum a criança brincar perto da casa de Sandra e ficar junto com as vizinhas. A menina iria completar três anos no dia 4 de janeiro.

O delegado Tiago Cavalcante também explicou que a pequena Heloísa foi vítima da bala perdida. “Acredito que os alvos principais, pela quantidade dos disparos, eram Sandra e a filha. A criança foi atingida por má execução do crime”, disse o delegado.

As investigações do crime continuam e até o momento nenhum suspeito foi preso. A Polícia Civil informou que dois homens teriam efetuado os disparos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.