ASSINE

Prova do crime: material genético de feto e de menina estuprada chega ao ES

A coleta ocorreu no hospital onde a criança foi submetida a um aborto, em Recife (PE), e chegou ao Estado na noite desta quarta-feira (19) para que sejam feitas as confrontações com o perfil do suspeito. Prazo para a divulgação do resultado é de 30 dias

Publicado em 20/08/2020 às 11h31
Atualizado em 20/08/2020 às 11h31
O Departamento Médico-Legal de Vitória (DML) foi o único a ter médico-legal hoje (16) no Estado.
O material genético da criança e do feto já estão no Estado e serão confrontados com o perfil coletado do suspeito de praticar os abusos e engravidá-la . Crédito: Reprodução/TV Gazeta

A Polícia Civil do Espírito Santo já está com o material genético da menina de 10 anos e também do feto. A assessoria da PC informou em nota na manhã desta quinta-feira (20) que a polícia no Estado recebeu o material nesta quarta-feira (19).

"A Polícia Civil do Espírito Santo, por meio da Superintendência de Polícia Técnico Científica (SPTC), recebeu nesta quarta-feira (19), do Instituto de Genética Forense de Pernambuco, os perfis genéticos, do feto e da criança. Os perfis genéticos estão sob análise no Laboratório de DNA, para que sejam feitas as confrontações com o perfil do suspeito, de quem coletamos o material biológico para processamento", ressaltou o comunicado.

De posse do material genético, os próximos passos serão dados no cruzamento laboratorial para confirmar se de fato a gravidez da menina foi originada por abusos praticados pelo suspeito de 33 anos, como explicado pelo superintendente de Polícia Técnico Científica, Renato Kosky Júnior.

Renato Kosky Júnior

Superintendente de Polícia Técnico Científica

"Estamos dando a maior celeridade possível neste caso, mas sem comprometimento da qualidade e responsabilidade que os exames requerem. Acreditamos que, em poucos dias, poderemos concluir os exames e enviar os resultados para o Ministério Público Estadual"

Embora haja a expectativa para uma rápida divulgação do resultado, neste tipo de procedimento o prazo para a conclusão do exame de DNA é de 30 dias.

RELEMBRE O CASO

O crime veio a público no início de agosto, depois de a menina procurar um hospital estadual de São Mateus, com dores abdominais. Exames constataram que ela estava grávida, o que a levou a revelar que era abusada sexualmente pelo tio desde 2016. Ou seja, desde quando ela tinha apenas seis anos.

Hospital Roberto Arnizaut Silvares é referência no Norte do Espírito Santo
A menina estuprada teve a gravidez comprovada no Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, há pouco mais de uma semana. Crédito: Reprodução | TV Gazeta Norte

Por direito previsto em lei, a menina interrompeu a gravidez no último final de semana, em um hospital da cidade de Recife (PE). Nesta quarta-feira (19), o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) confirmou que ela já recebeu alta. No futuro, ela pode ser acolhida por programas de proteção e até mudar de nome.

Já o tio da menina estava foragido desde o dia 12 de agosto, mas acabou preso na madrugada dessa terça-feira (18), na casa de parentes, em Betim (MG). Horas depois, ele foi levado ao Departamento Médico Legal (DML) em Vitória; e à noite deu entrada em uma penitenciária do Complexo de Xuri, em Vila Velha.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.