ASSINE

Polícia vai pedir prisão de suspeito de espetar gato com vergalhões no ES

Homem de 43 anos foi procurado pela Polícia Civil ao longo do dia, mas não foi encontrado em casa e também não apareceu para trabalhar

Linhares / Rede Gazeta
Publicado em 24/11/2020 às 19h17
Gato foi torturado em Linhares
Gato foi torturado em Linhares . Crédito: Reprodução

Um homem de 43 anos é apontado pela Polícia Civil como o responsável por espetar um gato com vergalhões na cidade de Linhares, no Norte do Espírito Santo. O nome e a foto do suspeito não foram divulgados pela polícia, mas o delegado responsável pela investigação afirmou que vai pedir a prisão dele.

“A gente não sabe o paradeiro dele. A polícia já fez algumas incursões para encontrá-lo, mas ele não estava trabalhando e também não estava em casa. Não resta outro passo a não ser pedir a decretação da prisão dele”, disse o delegado Tiago Cavalcante.

Quatro testemunhas já prestaram depoimento na Delegacia Regional de Linhares. As investigações apontam que o homem maltratou o gato porque estava incomodado com o animal. Em vídeos que começaram a circular nesta segunda-feira (23), o gato aparece agonizando dentro de uma armadilha, após ser espetado com vergalhões no quintal de uma casa do bairro Jardim Laguna.

“O inquérito está bem robusto, já temos quatro declarações. Em relação ao suspeito, que todos nós recebemos (imagens) através da rede social. A verdade que se confirma é que o caminho é aquele. Existe uma suposta motivação, que os gatos estariam incomodando aquele indivíduo, mas nada justifica a crueldade que ele utilizou”, disse Cavalcante.

Com o auxílio de três pessoas, o gato foi retirado do local das agressões. O animal ficou com vários ferimentos pelo corpo e na cabeça. Ele foi encaminhado para atendimento com um médico veterinário e recebeu pontos para fechar as feridas. Depois de recuperado, o gato será colocado para adoção.

HOMEM QUE APARECE NOS VÍDEOS NÃO É O AUTOR DO CRIME

Nas imagens do resgate do gato, o professor Cícero Ezequiel de Pádua aparece ajudando a retirar os vergalhões do corpo do animal. Apesar disso, algumas pessoas confundiram ele com o suposto agressor do gato. Em nota, a Polícia Civil salientou que o homem não é o autor dos maus-tratos.

Após a repercussão do caso, o professor gravou um vídeo para informar que não tinha relação com as agressões. Na manhã desta terça-feira (24), ele também esteve na Delegacia Regional de Linhares para esclarecer a situação.

Cícero não é o autor das agressões contra o animal
Cícero não é o autor das agressões contra o animal . Crédito: TV Gazeta

"Nas redes sociais, algumas pessoas estavam afirmando que iriam me matar. Eu sou uma pessoa que ama os animais e estou torcendo para a recuperação do gatinho", disse para a reportagem da TV Gazeta.

LEI MAIS DURA

No último dia 29 de setembro o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime.

A nova lei cria um termo específico para esses animais. Agora, como define o texto, a prática de abuso e maus-tratos a animais será punida com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Linhares Polícia Civil linhares Pets Maus tratos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.