ASSINE

Polícia prende suspeito de envolvimento na morte da menina Alice

Além dele, outros 38 criminosos foram presos durante a Operação Caim, da Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira (08)

Publicado em 08/04/2020 às 18h57
Atualizado em 08/04/2020 às 21h49
Alice da Silva Almeida
Alice da Silva Almeida foi morta por tiros de bala perdida enquanto brincava no quintal de casa, em Vila Velha. Crédito: Arquivo pessoal

Um dos suspeitos de participar do tiroteio que terminou na morte da menina Alice da Silva Almeida, de 3 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira (08). A prisão foi realizada durante mais uma fase da Operação Caim, da Polícia Civil. 

Alice foi morta por dois tiros de bala perdida em 9 de fevereiro deste ano, enquanto brincava no quintal de casa no bairro Dom João Batista, em Vila Velha. O alvo dos disparos era um jovem de 17 anos, que ao tentar escapar, invadiu a casa da família da criança.

Segundo o chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Romualdo Gianordoli, a prisão do terceiro suspeito do assassinato da menina foi a mais significativa da operação. Duas outras pessoas já haviam sido presas em fevereiro pelo mesmo crime.

Romualdo Gianordoli

Delegado

"Este suspeito cometeu um duplo homicídio no dia 24 de dezembro, no bairro Dom João Bastista. Ali existe uma guerra entre duas bocas do tráfico. A retaliação a este crime culminou na morte da Alice"

OPERAÇÃO CAIM

A Operação teve a primeira fase na última semana, quando 17 pessoas foram presas. A maioria suspeita de cometer homicídios na Grande Vitória.  A ação, que é coordenada pela Polícia Civil, começou após aumento do número de assassinatos no Estado, que registrou 143 mortes só no mês de março. 

Na operação desta quarta-feira (08), além do suspeito da morte de Alice, outros 38 criminosos foram presos. Cerca de 100 policiais civis participaram da ação, que também teve apoio da Polícia Militar.

Dos presos, 14 possuíam mandados de prisão em aberto por homicídio, 11 de crimes diversos, como tráfico de drogas e violência doméstica, e outros 14 foram detidos em flagrante.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.