ASSINE

Padrasto disse que menina espancada comeu feijão tropeiro e passou mal

Segundo a polícia, ele é o principal suspeito de espancar a criança. Aghata Vitória Santos Godinho foi levada desacordada e com hematomas para uma base da Eco 101

Publicado em 20/10/2020 às 17h35
Atualizado em 20/10/2020 às 17h35
Elisnai Borges Eloy, padrasto acusado de espancar menina de 5 anos até a morte na Serra, deixa o DML e segue para presídio
Elisnai Borges Eloy, suspeito de espancar a enteada de 5 anos até a morte , deixa o DML e segue para presídio. Crédito: Ricardo Medeiros

Aghata Vitória Santos Godinho de 5 anos morreu vítima de espancamento na tarde da última segunda-feira (19), no município da Serra, no Espírito Santo. Segundo a polícia, o suspeito do crime é o padrasto da criança, Elisnai Borges Eloy, 35 anos

De acordo com os relatos de familiares, a mãe da menina saiu de casa, por volta das 14 horas, e deixou ela e o irmão mais novo, de 3 anos, para ir a uma aula da autoescola. Algum tempo depois, Elisnai procurou uma tia das crianças dizendo que Aghata passou mal após almoçar feijão tropeiro e desmaiou, contou a avó da criança, Cleuza Godinho Araújo.  

De acordo com Cleuza, ao chegar ao local junto com a tia da menina, Aghata estava desmaiada na cama e, ao contrário do que o padrasto afirmou à família, não havia sinais de que ela tinha vomitado. A tia ligou então para a mãe das crianças e contou sobre a situação.

Quando chegou em casa, a mãe de Aghata pegou a garotinha e levou às pressas para um posto da base da Eco 101, já a família mora próximo à BR 101.  No local, a criança foi posta na ambulância da concessionária e os médicos tentaram por quase duas horas reanimá-la, mas não conseguiram. O corpo de Aghata foi levado pelos socorristas até o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.  

Exames realizados na menina constataram que ela foi vítima de espancamento. Segundo a perícia, havia hematomas na cabeça, nas mãos, nas costas e na barriga. A polícia disse que foram provocados, provavelmente, por chutes ou socos. 

Agatha Moreira Santos Godinho, de 5 anos, morreu vítima de espancamento, na Serra. Crédito: Reprodução/TV Gazeta
Agatha Moreira Santos Godinho, de 5 anos, morreu vítima de espancamento, na Serra. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Enquanto a vítima era socorrida, o padrasto esteve no posto da Eco 101. Lá disse que a menina passou mal após almoçar e negou que tivesse agredido a menina. Depois de constatar a morte da criança, a Polícia Militar foi acionada e levou o suspeito até a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

SUSPEITO NEGA TER AGREDIDO MENINA

Enquanto a vítima era socorrida, o padrasto esteve no posto da Eco 101. Lá disse que a menina passou mal após almoçar e negou que tivesse agredido a menina. No entanto, não soube explicar a origem dos hematomas na criança. Depois de constatar a morte da criança, a Polícia Militar foi acionada e levou o suspeito até a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde ele ficou calado, segundo os policiais civis. 

Elisnai, que é aposentado por invalidez por não ter uma mão, foi encaminhado para o presídio e autuado por homicídio qualificado por motivo fútil, com impossibilidade de defesa da vítima. O caso segue sob investigação dos policiais da divisão de homicídios.

Com informações de Daniela Carla, da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais
Dhpp Polícia Civil Serra Polícia Militar crianca crime espancamento serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.