ASSINE

Menina de 5 anos morre após ser espancada na Serra; padrasto é suspeito

Segundo informações da ocorrência registrada no Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes), a criança, com hematomas pelo corpo, foi socorrida para a base da Eco 101, concessionária que administra a rodovia, onde foi constatado o óbito

Publicado em 20/10/2020 às 06h50
Atualizado em 20/10/2020 às 15h39
Padrasto é suspeito de matar menina de 5 anos na Serra
Padrasto é suspeito de matar menina de 5 anos na Serra . Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Uma menina de 5 anos morreu após ser espancada no bairro Cidade Nova, na Serra, na tarde dessa segunda-feira (19). O padrasto da menina, de 35 anos, é apontado pela polícia como o principal suspeito da agressão e foi preso.

A menina foi identificada como Aghata Vitória Santos Godinho. Segundo informações da ocorrência registrada no Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes), a criança, com hematomas na cabeça, na barriga e nas mãos, foi socorrida para a base da Eco 101, concessionária que administra a BR 101, onde foi constatado o óbito. Foi a mãe da menina que pediu socorro na base da concessionária. A mãe contou que saiu de casa e deixou a criança com o padrasto. Depois, a mulher recebeu uma ligação da irmã dizendo que o cunhado disse que a enteada tinha passado mal depois de almoçar e não estava acordando.

A ocorrência foi levada para o Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória. A mãe e o padrasto da menina foram conduzidos para a delegacia para prestar esclarecimentos. No DHPP, o caso foi registrado como homicídio consumado por espancamento.

Agatha Moreira Santos Godinho, de 5 anos, morreu vítima de espancamento na Serra
Agatha Santos Godinho, de 5 anos, morreu vítima de espancamento na Serra. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

SUSPEITO NEGA TER AGREDIDO MENINA

O padrasto, apontado como principal suspeito do crime, ficou preso. Ele negou que tenha agredido a menina e disse que ela passou mal depois de almoçar. O homem, de 35 anos, é aposentado por invalidez por não ter uma mão. No posto da ECO 101, o suspeito não soube explicar os hematomas. Já na delegacia, ele ficou calado, segundo policiais civis. O padrasto foi autuado por homicídio qualificado por motivo fútil com impossibilidade de defesa da vítima. O caso segue sob investigação dos policiais da divisão de homicídios.

O QUE DIZ A POLÍCIA CIVIL

A Polícia Civil informa que o caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM). O padrasto foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado, e encaminhado ao Centro de Triagem de Viana.

"O corpo da vítima foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória para ser feito o exame cadavérico, e o prazo para a conclusão do laudo é de 30 dias. Outras informações não serão repassadas para que a apuração dos fatos seja preservada", informa a polícia, por nota.

A corporação destaca que a população tem um papel importante nas investigações e pode contribuir com informações de forma anônima através do Disque-Denúncia 181. O anonimato é garantido e todas as informações fornecidas são investigadas.

Com informações de Daniela Carla, da TV Gazeta

Polícia Civil Serra Polícia Militar crianca crime espancamento serra

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.