ASSINE

Drogas escondidas em viatura da PM: 1 mês depois, caso segue sem respostas

A Polícia Militar explicou que o episódio está sendo investigado pela Corregedoria, sob sigilo, e ainda afirmou que “detalhes não serão passados para não atrapalhar as apurações"

Publicado em 19/10/2020 às 19h52
Polícia Militar no bairro Jardim da Penha
Polícia Militar no bairro Jardim da Penha . Crédito: Carlos Alberto Silva

Mais de um mês após uma viatura da Polícia Militar (PM) ser encontrada com drogas, rádios comunicadores e dinheiro, o caso segue sem solução. O material estava escondido embaixo do banco traseiro e foi encontrado no último dia 16 de setembro, enquanto o carro passava por manutenção numa oficina mecânica em Vitória.

Procurada por A Gazeta sobre o andamento da investigação, a PM explicou que o episódio está sendo investigado pela Corregedoria da corporação, sob sigilo, e ainda afirmou que “detalhes não serão passados para não atrapalhar as apurações”.

No boletim de ocorrência registrado sobre o caso consta que o mecânico avistou frascos frequentemente usados para armazenar uma substância mais conhecida como loló. Também foram encontrados oito pinos de cocaína, 22 pedras de crack, 3 buchas de maconha, R$ 8 e oito radio comunicadores.

Foi feito, então, o recolhimento da viatura, a apreensão do material ilícito e o encaminhamento à perícia da Polícia Civil. Um inquérito foi aberto e encaminhado para a Corregedoria da PM, que tem 55 dias de prazo legal para apurar as circunstâncias nas quais ocorreram o fato.

A PM alegou ainda que, com a conclusão dos trabalhos, caso existam indícios de crime militar, o inquérito será encaminhado à Auditoria Militar, sem prejuízo das consequências administrativas disciplinares.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.