ASSINE

Após confronto com a polícia, envolvido em ataque no Centro de Vitória é preso

O suspeito confessou a participação após ter sido detido em confronto com a PM em Vila Velha, quando duas mulheres foram feitas reféns dentro de uma casa

Vitória
Publicado em 10/10/2020 às 09h37
Atualizado em 10/10/2020 às 14h42
Confronto em Cobilândia dá sequência à tiroteio na Ilha do Príncipe. Um dos suspeitos confessa ter participado de ataque no Centro de Vitória
Veículo utilizado pelos criminosos colide em barreira de proteção. Crédito: Internauta

Um dos envolvidos no ataque no Centro de Vitória, ocorrido no último dia 4, que resultou em duas mortes e três tentativas, foi preso na noite desta sexta-feira (9), em Cobilândia, Vila Velha. O suspeito confessou o crime após ter sido detido em confronto com a Polícia Militar no município canela-verde, que deu sequência a outro tiroteio registrado minutos antes na Ilha do Príncipe, em Vitória.

O confronto em Vila Velha resultou em mãe e filha feitas reféns, que, com apoio policial, foram liberadas. Um dos quatro suspeitos a integrarem a ação criminosa em Cobilândia conseguiu fugir e os outros três foram detidos e levados para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória.

A faxineira de 45 anos, que não teve o nome revelado, foi feita refém junto com a filha de 20 anos pelos bandidos. A mulher chegava da igreja quando foi rendida e obrigada a entrar em casa. De acordo com apuração da TV Gazeta, mãe e filha ficaram quase meia hora em poder dos criminosos. 

O CONFRONTO

De acordo com informações do Ciodes, durante um patrulhamento feito por volta das 21h15 desta sexta-feira (9) na Rodovia Darly Santos, nas proximidades do bairro Vale Encantado, em Vila Velha, foi recebido um pedido de apoio urgente que dizia que um veículo fugia de viatura em alta velocidade, tendo inclusive realizado disparos contra os policiais. Diante disso, a equipe que fazia patrulhamento seguiu ao local para dar apoio. Ao chegar no ponto onde ocorria o confronto, um dos suspeitos já havia sido detido e o veículo utilizado pelos criminosos havia batido em barreira de proteção.

No local, a polícia foi informada de que outros suspeitos haviam fugido e se escondido em uma residência de cor amarela. A PM realizou um cerco à casa, que tinha o portão trancado por cadeado. Depois de chamar várias vezes, uma senhora atendeu pela varanda, negando-se a abrir o portão. Observando as janelas da residência, um policial conseguiu perceber a movimentação de pessoas por trás das cortinas, o que teria levado ao rompimento do cadeado e entrada na casa.

A dona da casa e a filha foram então isoladas dos criminosos, que foram rendidos. A senhora contou que estava sendo mantida sob a mira de arma de fogo por um dos suspeitos e que foi vítima de ameaças. Na ação, foram apreendidos uma pistola Canik 9mm, um carregador e 12 munições.

PARTICIPANTE NO CRIME DO CENTRO

Um dos quatro suspeitos a integrarem a ação criminosa em Cobilândia conseguiu fugir e os outros três foram detidos e levados para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória. O suspeito que confessou participação no crime ocorrido no Centro de Vitória, no último dia 4, informou ter sido o motorista do veículo HB20 na ação criminosa, tendo abandonado o carro no bairro Praia do Canto.

Carro suspeito de ter sido usado em crime no Centro de Vitória é periciado pela Polícia Civil
Carro suspeito de ter sido usado em crime no Centro de Vitória é periciado pela Polícia Civil. Crédito: Gabriela Ribeti

ENTENDA A CRONOLOGIA

Segundo informações do Ciodes, uma equipe esteve na Ilha do Príncipe para atender a primeira ocorrência desta sexta-feira (9) e encontrou 68 cápsulas de munições diferentes, de calibres 9mm e 380. Não houve feridos. As cápsulas foram recolhidas e entregues primeiramente no Departamento de Polícia Judiciário (DPJ) de Vitória.

Após a apreensão do veículo suspeito, em Vila Velha, foi determinado que as cápsulas fossem levadas para o 4º BPM, em Vila Velha. Em seguida, ambas as ocorrências — com todo o material apreendido — foram encaminhadas para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória.

O confronto armado com a Polícia Militar, em Cobilândia, segundo o Ciodes, teve início quando uma equipe visualizou um veículo branco em atitude suspeita e realizou o acompanhamento. Foi então realizado um cerco e abordado o veículo. A partir daí, seguiu-se o confronto com a PM até a chegada à casa, onde mãe e filha foram feitas reféns. 

ATAQUE NO CENTRO DE VITÓRIA

No dia 4 de outubro, um carro de aplicativo – de cor vermelha – com cinco ocupantes foi interceptado por um veículo de cor branca, com três criminosos, na Avenida Governador José Sette, no Centro, em plena luz do dia. Os bandidos efetuaram mais de 40 disparos contra o carro. Duas pessoas morreram: o motorista de aplicativo Adriano Ferreira do Amaral, 39 anos, e um dos passageiros, Kelvin Filgueiras da Silva, 28.

Mais de 40 disparos foram realizados
Ataque a carro no Centro de Vitória deixou dois mortos. Crédito: Vitor Jubini

A reportagem de A Gazeta demandou as polícias Militar e Civil sobre o caso. A Polícia Civil respondeu por meio de nota. Veja abaixo na íntegra. 

"A Polícia Civil informa que os suspeitos, de 24 anos e 27 anos, conduzidos ao Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foram autuados em flagrante por associação criminosa, corrupção de menores, disparo de arma de fogo, constrangimento ilegal e tentativa de homicídio qualificada contra agentes de segurança pública no exercício da função. O suspeito de 24 anos também foi autuado por receptação. Eles foram encaminhados para o Centro de Triagem de Viana.

O adolescente, 15 anos, assinou um boletim de ocorrência circunstanciado (boc) por trafico de drogas, associação criminosa e foi reintegrado à família.  

Em relação ao envolvimento do detido com um crime registrado no Centro de Vitória, o caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, e outras informações não serão repassadas para que a apuração dos fatos seja preservada.

A Polícia Civil destaca que a população tem um papel importante nas investigações e pode contribuir com informações de forma anônima através do Disque-Denúncia 181, que também possui um site onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas, o disquedenuncia181.es.gov.br. O anonimato é garantido e todas as informações fornecidas são investigadas", finaliza. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.