ASSINE

Após 5 meses, caso de mulher morta perto de presídio no ES ainda é mistério

O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), mas a Polícia Civil não deu detalhes sobre o andamento das investigações

Publicado em 25/10/2021 às 09h49
Mãe desaparece após sair para visitar filho em presídio
O corpo de Junia Souza Damasceno Bonfim foi encontrado perto de presídio. Crédito: Reprodução

A última conversa de Thais Damasceno Bonfim com a própria mãe, pelo celular, foi em maio deste ano. Dias depois, Junia Damasceno Bonfim, de 52 anos, saiu de casa, em Vitória, para visitar o filho, preso no complexo de Xuri, em Vila Velha, e desapareceu.

Na época, a família e amigos se mobilizaram para encontrá-la. Nove dias depois do sumiço, agentes penitenciários encontraram o corpo de Junia Damasceno Bonfim, de 52 anos, já em estado de decomposição, no matagal entre o presídio e a BR-101.

Thais diz que o laudo da Polícia Civil apontou que a mãe foi estuprada, mas até hoje a família ainda não sabe qual foi exatamente a causa da morte e muito menos quem é o assassino.

“Eu nunca fui chamada lá. Eles nunca me deram um parecer, nunca me falaram uma novidade, nunca me falaram que eles tinham uma suspeita… eles nunca falaram nada. Tem cinco meses, sabe? Cinco meses é muito tempo para eles não terem nenhum suspeito, nada. Desde o desaparecimento da minha mãe, sempre fomos eu e meu pai que corremos atrás de tudo. As filmagens da minha mãe passando no posto tem porque eu e meu pai fomos lá. Tem a filmagem de dentro do ônibus porque eu e meu pai ficamos olhando e anotamos”, contou a filha da vítima.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), mas a Polícia Civil não deu detalhes sobre o andamento das investigações. Por meio de nota, se limitou a dizer que, até o momento, nenhum suspeito do crime foi detido.

Sem ter uma resposta concreta por parte da polícia, Thais disse que agora a família pensa em entrar com uma ação contra o Estado.

“Aconteceu debaixo dos olhos deles, e eles não sabem nada? Eles não conseguem saber nada? É uma coisa que aconteceu dentro do território deles, debaixo das vistas deles. Como ninguém viu? Como que eles não conseguem saber de nada?”, cobrou Thais.

No último dia 20 de outubro, Junia Bonfim faria 53 anos. Pela primeira vez não teve festa e muito menos razão para comemorar.

“Alguém me tirou o direito de ter minha mãe porque a minha mãe não estava doente, sabe? Ela não morreu porque ela estava doente, porque ela estava passando mal. Ela morreu porque alguém decidiu que ela tinha que morrer”, contou.

Com informações de Prisciele Venturini, da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais
Assassinato Espírito Santo Polícia Civil complexo prisional de xuri espírito santo Estupro

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.