ASSINE

Advogado de rapaz que teve barriga cortada diz que casal foi atacado em Guarapari

Famílias dos jovens afirmam em nota que a violência foi praticada por "terceiros ainda desconhecidos" durante um luau na praia e que nenhum dos dois possui ligação com a área médica

Tempo de leitura: 7min
Vitória
Publicado em 31/01/2022 às 19h00
Atualizado em 02/02/2022 às 20h30
Material encontrado pela PM na Praia do Ermitão, em Guararari
Material encontrado pela PM na Praia do Ermitão, em Guarapari. Crédito: Foto de leitor de A Gazeta

O jovem de 21 anos encontrado com a barriga aberta e parte do intestino exposto, na Praia do Ermitão, em Guarapari e sua namorada, de 20 anos, sofreram um ataque na madrugada do dia 16 de janeiro. É o que afirma o advogado que representa as famílias do casal, Lécio Machado.

Em nota, os familiares dos jovens informaram que “os seus filhos foram vítimas de uma ação criminosa e violenta praticada por terceiros ainda desconhecidos, durante um luau que realizavam à dois naquela data e localidade (Praia do Ermitão)."

Segundo o advogado, não há dúvidas sobre o ataque. “Pelo nível de lesão, foram atacados sim. Os dois ficaram muito machucados e ela recebeu alta primeiro. Ele permanece internado, mas está se recuperando. Foram vítimas de mais de uma pessoa”, destacou.

Por volta das 6 horas do dia seguinte, as câmeras registraram ele sendo socorrido em um veículo do Corpo de Bombeiros, junto com o Samu. 

Os jovens são namorados, informa Machado, e foram para a praia para fazer um luau. “Na terça-feira (18), ele iria para os Estados Unidos. Agora vai ter que ficar e cuidar da saúde”, acrescentou o advogado.

O casal estava sozinho na praia. Eles relataram que um aparelho de celular da marca IPhone foi levado, além de cartões, cerca de R$ 80 em espécie e tiveram seus objetos pessoais revirados.

O advogado esclareceu que nenhum dos dois é estudante da área médica. “Ela terminou o ensino médio e está fazendo pré-vestibular. Ele é universitário na área de tecnologia”, informou.

Material encontrado pela PM na Praia do Ermitão, em Guararari
Material encontrado pela PM na Praia do Ermitão, em Guarapari. Crédito: Foto leitor de A Gazeta

COMO TUDO ACONTECEU, SEGUNDO O CASAL

Machado confirma apenas que os jovens fizeram uso de álcool. Porém, em Boletim de Ocorrência registrado pela Polícia Militar, a jovem informou aos PMs que havia usado entorpecente.

Em depoimento na segunda-feira (31), ela também disse aos policiais civis que havia bebido vinho com o namorado e que eles consumiram um "quadradinho de papel", se referindo a uma droga. Em seguida, contou, ambos "apagaram" e não se lembram mais de nada. 

Ao advogado, a jovem relatou que só recobrou a consciência após o ataque. Ela diz que despertou com o barulho do celular dela, que estava na areia. “Era a mãe dela ligando, a quem pediu socorro. Ela também, quando viu a situação do namorado, foi até a guarita do parque e pediu ajuda. Eles acionaram o socorro”, explicou.

Segundo Machado, o rapaz perdeu parte do intestino. “Foi encontrado pela polícia na areia da praia. Mas ele já está bem, está em um apartamento no hospital, se recuperando”, explicou.

Em relação à jovem, ele disse que ela está muito abalada. “Recebeu alta e tem ficado recolhida. Está com muita vergonha da situação”, disse.

Os dois serão ouvidos pela polícia ainda esta semana. “Já existe um inquérito apurando o que aconteceu e eles vão prestar depoimento esta semana. Eles foram atacados, mas não sabem por quantas pessoas, não se lembram", aponta o advogado.

SIGILO APÓS OS FATOS

Em nota, as famílias dos jovens informaram que preferiram manter o ataque em sigilo para dar aos dois um tempo de recuperação.

“Compreensivelmente, as famílias dos jovens, em comum acordo, preferiram manter, até o momento, os fatos sob sigilo, com o único objetivo de preservar a identidade das vítimas e garantir a elas um ambiente adequado para a necessária recomposição emocional e física, dado que inegavelmente sofreram demasiada violência física e psicológica ao serem vítimas do crime, agora tornado público”, diz o texto.

E acrescenta ainda que o casal tem recebido todo o atendimento médico-hospitalar necessário e encontra-se em pleno processo de recuperação. “Confiamos nas investigações promovidas pela 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Guarapari e esperamos que os responsáveis pelo crime sejam encontrados e punidos”, informa a nota.

Boletim de ocorrência sobre o caso do jovem encontrado com corte na barriga em praia de Guarapari
Boletim de ocorrência sobre o caso do jovem encontrado com corte na barriga em praia de Guarapari. Crédito: Foto leitor A Gazeta

O QUE DIZEM OS DOCUMENTOS OFICIAIS

No boletim de acionamento do Ciodes, que enviou uma viatura ao Hospital Maternidade Anchieta, é informado que uma mulher deu entrada no local com corte na mão, nas pernas e hematoma na cabeça. Os feriamento seriam “devido a uma briga que teve com seu namorado”.

Já no Boletim de Ocorrência da Polícia Militar é descrito que o atendimento realizado pelos policiais ocorreu às 9h26, do dia 16 de janeiro. Eles atenderam uma ocorrência no Hospital Maternidade Anchieta, “para verificar uma situação de lesão corporal leve”, envolvendo uma jovem.

Aos policiais, ela relatou que estava na Praia do Morro, em Guarapari, com seu amigo, de 21 anos e que após fazerem uso de entorpecentes, não se lembrava de mais nada.

“Porém, quando a sua consciência voltou, a mesma lembra que estava sendo socorrida pelos seus pais, sendo que seu corpo havia vários hematomas e cortes, e seu amigo tinha um corte profundo na região do abdômen, sendo socorrido para o Hospital São Lucas, em Vitória”, diz o texto do boletim de ocorrência.

É acrescentado ainda que os policiais orientaram a jovem e seus familiares “a tomarem as medidas necessárias”, diz o texto.

Boletim de ocorrência sobre o caso do jovem encontrado com corte na barriga em praia de Guarapari
Boletim de ocorrência sobre o caso do jovem encontrado com corte na barriga em praia de Guarapari. Crédito: Foto leitor A Gazeta

SOCORRO PRESTADO PELOS BOMBEIROS

Por nota, o  Corpo de Bombeiros Militar explicou que foi acionado para atender uma ocorrência de ferimento por arma branca, por volta das 4h40 do dia 15 de janeiro, no Parque do Morro da Pescaria, na Praia do Morro, em Guarapari. A equipe chegou ao local e precisou caminhar cerca de um quilômetro por uma trilha para encontrar o jovem ferido.

"A vítima, do sexo masculino, já estava sendo atendido também por socorristas do Samu. O jovem apresentava ferimento contundente na cabeça e evisceração, com quadro hemorrágico. Com apoio de um quadriciclo, o ferido foi retirado e deixado na ambulância do Samu pelos militares, com apoio dos funcionários do parque", diz o texto da nota

PEDIDO DE AJUDA AO VIGIA DO PARQUE

A Prefeitura de Guarapari informou, também por nota, que o vigia noturno do Parque Morro da Pescaria foi abordado com o pedido de socorro de uma mulher, que alegava estar acompanhada de um rapaz ferido na Praia do Ermitão.

"O vigia acionou a administração do parque e logo foi feito contato com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. O rapaz foi socorrido pelo Samu e Bombeiros. O parque voltou a funcionar no mesmo dia, após liberação da Polícia Militar. Desde então, a prefeitura vem colaborando com o trabalho da Polícia Civil, através de imagens do videomonitoramento e depoimentos de funcionários", diz o texto da nota.

ENTENDA O CASO

A Polícia Civil investiga o caso de um jovem de 21 anos que foi socorrido com um corte profundo na barriga, com o intestino exposto, na madrugada do dia 16 de janeiro, na praia do Ermitão, em Guarapari.

O caso ganhou as redes sociais no dia 30 de janeiro, quando foram compartilhadas muitas versões desencontradas sobre o assunto. A Gazeta então procurou a polícia para obter as informações corretas sobre a investigação.

A moça e os pais dela já prestaram depoimento à Polícia Civil. O rapaz, como ainda segue internado, não foi ouvido oficialmente. Em nota, a PC confirmou que o caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari. Os nomes deles não foram divulgados.

Até o momento, segundo a nota da polícia, "não há como afirmar que a mulher esteja envolvida nos fatos". Foi informado ainda que "nenhum suspeito foi detido e que detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto", segundo a nota da Polícia Civil.

O rapaz foi foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE) - antigo São Lucas -, em Vitória, onde deu entrada por volta das 7h30 do dia 16 de janeiro. Posteriormente, foi transferido para o Vitória Apart Hospital, onde segue internado.

Para A Gazeta, o hospital informou, por meio de nota, que "o paciente em questão está internado no hospital desde o dia 16 de janeiro, depois de passar por atendimento prévio em outra unidade. Ele segue internado, mas o hospital não tem autorização para fornecer informações clínicas e de seu estado de saúde”.

Correção

1 de Fevereiro de 2022 às 14:59

A versão anterior da reportagem trazia a informação de que o rapaz que sofreu o corte na barriga tinha 20 anos. Na verdade, segundo a família, ele tem 21 anos de idade. 

Atualização

2 de Fevereiro de 2022 às 18:23

Esse conteúdo foi atualizado com informações obtidas até 02 de fevereiro junto à Polícia Civil, ao advogado do casal e aos próprios envolvidos no caso.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.