Vila Velha tem três casos de transmissão comunitária do coronavírus

Outras cidades investigam casos de transmissão comunitária. Prazo para identificar a fonte de disseminação é de 36 horas

Publicado em 30/03/2020 às 20h10
Atualizado em 31/03/2020 às 12h09
Coronavírus - Covid19
Em três pacientes de Vila Velha não foi possível identificar a fonte transmissora do coronavírus. Crédito: Visuals3D/Pixabay

O Espírito Santo confirmou que já possui casos de transmissão comunitária do novo coronavírus. Em pelo menos três das 85 pessoas diagnosticadas com Covid-19, não foi possível identificar a fonte de disseminação da doença. Todos os casos são de Vila Velha. 

O estágio de transmissão comunitária se dá quando não é possível identificar uma relação de um novo caso da doença com um caso já existente. A Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) adota um prazo de 36 horas para investigar o vetor do vírus nos novos pacientes.  Se a identificação do transmissor não é realizada dentro desse período, é declarada a transmissão comunitária. 

“Estabelecemos internamente na Sesa que, após as confirmações dos casos, diante de algum caso que não tivesse nexo esclarecido, o prazo de 36 horas para que as vigilâncias do Estado e dos municípios pudessem fazer a investigação fina de potenciais contatos de comunicantes que possam ter sido a fonte primária de infecção desses casos que não tinham na ficha de notificação a clareza de qual era o contato", explicou o secretário de Saúde Nésio Fernandes. 

Com a confirmação de transmissão comunitária do vírus no Estado, é esperado que o número de pessoas infectadas aumente. Segundo o governador Renato Casagrande, é necessário que medidas de isolamento sejam reforçadas. 

Renato Casagrande

Governador

"Este estágio exige do governo medidas mais rigorosas, é um alerta vermelho para o governo. Os cuidados precisam ser redobrados na nossa vida pessoal e familiar, na hora de ir ao supermercado, farmácia, utilizar o ônibus. Nesta fase que não sabemos de onde está vindo o vírus, toda cautela é necessária, não sabemos quem pode ser um vetor, quem está transmitindo"

Casagrande informou que há outros casos de transmissão comunitária suspeitos no Estado. Como eles ainda estão dentro do prazo de investigação, não podem ser confirmados. Os municípios que estão sob investigação não foram divulgados.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.