ASSINE

Álcool em gel caseiro contra o coronavírus? Químico faz alerta

O engenheiro químico Marcos Halazs explica que não há comprovação da eficácia da mistura para combater o covid-19. Conselho Federal de Química é taxativo: apenas álcool 70%

Publicado em 16/03/2020 às 11h39
Atualizado em 16/03/2020 às 18h11
A gelatina incolor tem sido usada para soluções caseiras para se fazer álcool em gel. Crédito: Divulgação
A gelatina incolor tem sido usada para soluções caseiras para se fazer álcool em gel. Crédito: Divulgação

Duas folhas de gelatina incolor sem sabor, um copo da água quente e 12 copos de álcool 96° graus. Misture tudo e está pronto o álcool em gel de 72° a 75° graus. Essa é uma das receitas caseiras espalhadas em correntes de WhatsApp para produzir o próprio álcool 70%.

Em tempo de pandemia de coronavírus, misturas caseiras de solução que combatam o covid-19 surgem a todo momento, porém todas sem comprovação alguma. É o que atesta o professor das Faculdades Integradas de Aracruz (FAACZ) e engenheiro químico Marcos Halazs.

"O único produto eficaz no combate e que de fato tem ação efetiva é o álcool 70%. Ele é comprovadamente eficaz e tem ação rápida, tanto nas fórmulas líquida ou gel. Essas soluções caseiras são perigosas, pois as pessoas acreditam estar se protegendo quando, na verdade, não. O que tem que ser feito é lavar muito bem as mãos com água e sabão e fazer uso do álcool 70%. Vinagre e outros produtos também não tem comprovação alguma", detalhou.

DETALHAMENTO

Conselho Federal de Química (CFQ) explica que o valor de mistura do álcool presente na embalagem dos produtos indica a quantidade de álcool presente na solução. Ou seja, um produto 70 °INPM contém 70 g de álcool para cada 100 g da solução. Já um produto 70 °GL, contém 70 ml de álcool para cada 100 ml da solução. Assim, quanto maior a graduação, maior a quantidade percentual de álcool.

O álcool em gel 70% é eficaz no combate ao coronavírus. Crédito: Freepik
O álcool em gel 70% é eficaz no combate ao coronavírus. Crédito: Freepik

O CFQ orienta a não utilização de nenhum produto substituto e pede que a população siga as orientações das autoridades de saúde - que indicam lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel quando não for possível higienizá-las em uma torneira.

"Aqueles que não são profissionais e não tem pleno conhecimento dos potenciais riscos envolvidos, não recomendamos realizar receitas caseiras. É importante observar que muitos acidentes ocorrem justamente em situações de experimentação caseira", recomenda o CFQ.

Sobre o uso de fórmulas caseiras, seja com misturas de gelatina incolor e álcool, ou até mesmo a junção de gel de cabelo e álcool, o Conselho é claro: "para este propósito, o grau alcoólico recomendado é 70%, condição que propicia a desnaturação de proteínas e de estruturas lipídicas da membrana celular, e a consequente destruição do microrganismo", detalha o CFQ.

Em vídeo, o Conselho explica como o etanol age na higeinização e combate ao covid-19.

A Sociedade Brasileira de Infectologia também divulgou nota reafirmando a importância do álcool em gel no combate ao coronavírus.

"Segundo estudos científicos e recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), é inegável a importância do álcool gel na higienização das mãos, devido à sua ação antimicrobiana, contra bactérias, fungos e vírus, inclusive contra o novo coronavírus. Está comprovado que o álcool na concentração ideal de 70% é eficaz na antissepsia das mãos (sob a forma de gel) e na desinfecção de superfícies contaminadas".

Saúde Coronavírus Coronavírus no ES

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.