ASSINE

Plano de projetos com MG deve criar 11,5 mil empregos no ES

Carteira de projetos prioritários que terão foco da parceria envolve obras de infraestrutura nos dois Estados que devem gerar R$ 56,5 bilhões

Publicado em 17/02/2020 às 11h03
Atualizado em 17/02/2020 às 15h06
BR 262: duplicação da rodovia faz parte da carteira de projetos. Crédito: Fernando Madeira
BR 262: duplicação da rodovia faz parte da carteira de projetos. Crédito: Fernando Madeira

Os governos e federações das indústrias dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo lançaram na manhã desta segunda-feira (17), em Belo Horizonte, o Plano Estratégico MG/ES. A carteira de projetos prioritários que terão foco da parceria envolve obras de infraestrutura nos dois Estados que devem gerar R$ 56,5 bilhões. Anteriormente, A Gazeta tinha informado que o valor de investimento seria de R$ 45 bilhões, mas o número foi atualizado durante o evento pelas federações.

Se todas as obras forem para a frente, as federações das indústrias de Minas (Fiemg) e do Espírito Santo (Findes), estimam uma criação de quase 50 mil empregos nos dois Estados, sendo 11,5 mil empregos no Estado capixaba.

Entre as obras elencadas estão a duplicação e concessão das BRs 381 e 262, a privatização da Codesa, a renovação da concessão da Estrada de Ferro Vitória a Minas, e a implementação das ferrovias EF-118 (Vitória ao Rio), e 354 (Rio a Luizlândia do Oeste/MG).

Este vídeo pode te interessar

R$ 16,8 BILHÕES A MAIS PARA O PIB DO ES

A estimativa é que esses investimentos incrementem o PIB do Espírito Santo em R$ 16,8 bilhões, através do aumento do faturamento de empresas, e gerem R$ 675 milhões de impostos para o estado capixaba.

Além de obras de infraestrutura, a parceria prevê ainda redução de burocracia entre os dois Estados e atuação conjunta junto ao governo federal e Congresso Nacional para votar projetos importantes para os dois Estados.

Estão previstas ações integradas também na Bacia do Rio Doce, que corta dos dois Estados.

Presidente da Findes, Leo de Castro, e o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe. Crédito: Geraldo Campos Jr
Presidente da Findes, Leo de Castro, e o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe. Crédito: Geraldo Campos Jr

O presidente da Findes, Léo de Castro, comentou que são projetos antigos mas que precisam sair do papel. "Não estamos tirando nenhum coelho da cartola. São problemas e projetos existentes há muito tempo que estamos mudando a forma de enfrentá-los."

O presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, lembrou que os projetos vão gerar desenvolvimento além das divisas dos dois Estados. "Eles beneficiam todo o país, criando empregos também fora dos nossos estados e beneficiando outras empresas. É bom para todo mundo."

ACORDO NO SETOR DE ROCHAS

Também no evento em Belo Horizonte, o setor de rochas do Espírito Santo vai firmar acordo com  Minas Gerais e Ceará para atuação em conjunto. Os três Estados detêm 95% das exportações do segmento no Brasil . 

Assinarão o Protocolo de Integração o Centrorochas (Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais), Simagran-CE (Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos do Estado do Ceará), Sindirochas-ES (Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Estado do Espírito Santo) e Sinrochas-MG (Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Beneficiamento de Mármores, Granitos e Rochas Ornamentais no Estado de Minas Gerais).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.