ASSINE

Petrobras inicia produção em novo poço de petróleo no pré-sal do ES

Estatal perfurou poço com potencial produzir de 11 mil barris/dia. Investimento faz parte do chamado Projeto Integrado Parque das Baleias (IPB)

Tempo de leitura: 5min

Petrobras perfurou um novo poço de petróleo e gás natural em águas ultraprofundas no Espírito Santo. O poço 7-JUB-61-ESS tem potencial de produção de 11 mil barris/dia e está localizado no pré-sal do campo de Jubarte, que faz parte da região de exploração denominada Parque das Baleias, que fica na porção capixaba da Bacia de Campos.

A estatal iniciou a produção a partir do poço no último domingo (29), segundo informou nesta terça-feira (31). Trata-se do primeiro poço do Projeto Integrado Parque das Baleias (IPB), que prevê investimento bilionário para aumentar a produção na região, com novos poços e a instalação de uma nova plataforma, a FPSO Maria Quitéria, que tem início das operações previsto para o quarto trimestre de 2024.

A antecipação da produção desse poço foi feita após uma otimização no projeto aprovada pela Petrobras. Com isso, o novo poço passou a produzir para a plataforma P-58, a maior em operação hoje no Estado.

Plataforma P-58 está localizada no Parque das Baleias, porção capixaba da Bacia de Campos
Plataforma P-58 está localizada no Parque das Baleias, porção capixaba da Bacia de Campos. Crédito: Divulgação/Agência Petrobras

A petroleira destacou, em nota, que a "entrada em operação deste poço representa o início do novo ciclo de investimentos no campo de Jubarte, possível a partir da prorrogação do prazo de concessão até 2056 do novo campo de Jubarte".

O tempo de concessão foi ampliado após a unificação dos campos que pertencem ao Parque das Baleias, abrangendo as áreas de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Franca e partes de Cachalote e Pirambu, na Bacia de Campos. Todos esses se tornaram o novo campo de Jubarte, que receberá a FPSO Maria Quitéria.

Já estão em operação no Parque das Baleias atualmente as plataformas P-57, P-58 e FPSO Cidade de Anchieta, além da FPSO Capixaba, que está para ser desativada.

"O Projeto IPB contempla a interligação de poços no FPSO P-58 cuja capacidade de processamento é de 180 mil barris de óleo por dia (bpd) e 6 milhões de m³/d de gás; e a instalação do novo FPSO Maria Quitéria com capacidade de produção de até 100 mil bpd e 5 milhões m³/d de gás, que atualmente está em fase de construção e com previsão de entrada em operação no quarto trimestre de 2024", destacou a petroleira.

CONTRATO COM OPERADORA DA NOVA PLATAFORMA JÁ FOI FIRMADO

Petrobras já assinou contrato com o grupo asiático Yinson Production PTE Ltd. para afretamento e prestação de serviços do navio-plataforma Maria Quitéria, o mais aguardado investimento do setor de petróleo e gás no Espírito Santo

O investimento, estimado em R$ 5,6 bilhões, faz parte do cronograma prioritário da estatal, divulgado em novembro de 2021 pela estatal. Nos próximos cinco anos, os investimentos da companhia no país serão na ordem de US$ 68 bilhões, um acréscimo de 24% em relação ao planejamento anterior. As informações constam no plano estratégico da companhia para os anos de 2022 a 2026.

 Os contratos de afretamento e de serviços, assinados com as empresas empresas Yinson Bergenia Production B.V. e Yinson Bergênia Serviços de Operação LTDA, pertencentes ao mesmo grupo, terão duração de 22 anos e 6 meses, contados a partir da aceitação final da unidade, ou seja, após a conclusão do FPSO e aprovação das instalações pela Petrobras.

A assinatura da carta de intenção com a gigante asiática para afretamento e prestação de serviços da unidade já havia sido feita em novembro, mas faltava ainda a formalização. A empresa, com sede na Malásia, é a sexta maior do mundo no mercado de locação de plataformas. Caberá a Yinson a contratação da construção da plataforma.

O investimento está previsto no plano de negócios da Petrobras há vários anos, contudo, passou por uma série de adiamentos, sendo o mais recente motivado pela pandemia. Originalmente, a ideia era que o início da operação ocorresse em 2021. Mas essa previsão passou para 2022, depois para 2023, e, por fim, para 2024.

Em setembro de 2021, o gerente-geral da Unidade de Negócio da Petrobras no Espírito Santo (UN-ES), César Cunha de Souza, garantiu em um evento que o projeto estava mantido e seguia como prioritário na carteira da estatal.

Na ocasião, o executivo explicou ainda a próxima etapa do investimento: "Está em contratação o FPSO e a nossa expectativa é, assim que terminar esse processo, que ele siga para sua construção e depois implantação da plataforma, que vai atuar majoritariamente na produção do pré-sal", declarou.

A NOVA PLATAFORMA

Projeto Integrado Parque das Baleias, em Novo Jubarte, Litoral Sul do ES
Projeto Integrado Parque das Baleias, em Novo Jubarte, Litoral Sul do ES. Crédito: Petrobras/Reprodução

O FPSO Maria Quitéria é mais importante projeto da Petrobras previsto para o Espírito Santo. Ele está nos planos da companhia estatal desde 2014, quando foi iniciada a atividade da plataforma P-58, atualmente a principal produtora do Estado.

O projeto prevê a interligação de 17 poços ao FPSO, sendo nove produtores de óleo, oito injetores de água, por meio de infraestrutura submarina composta por dutos flexíveis, umbilicais eletro-hidráulicos e as chamadas árvores de natal molhadas.

O PARQUE DAS BALEIAS

A área de Parque das Baleias é formada pelos campos de Jubarte, Baleia Anã, Cachalote, Caxaréu, Pirambú e Mangangá. O primeiro campo, de Jubarte, foi descoberto em 2001. A região é a que mais produz óleo e gás no Estado e conta com reservatórios na camada pré-sal.

Em 2019 a Petrobras e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) celebraram um acordo para a prorrogação do prazo de concessão até 2056 do novo campo de Jubarte unificado, o que viabiliza a implantação do novo sistema de produção do Projeto Integrado do Parque das Baleias, além de projetos complementares na área.

Atualmente, estão em operação quatro plataformas: P-57, P-58, FPSO Cidade de Anchieta e FPSO Capixaba, sendo que este último opera apenas até 2022. Essas plataformas se localizam na área litorânea entre os municípios de Presidente Kennedy, Marataízes, Itapemirim e Anchieta, a pelo menos 75 quilômetros da costa.

Veja também

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.